Criar e educar um filho não é uma tarefa simples, demanda muita atenção, dedicação e paciência – o que fica ainda mais complicado quando só um dos pais assume todas essas atividades. E um estudo recente constatou que dividir de forma igualitária essas responsabilidades também gera impacto sobre o relacionamento.

A pesquisa, realizada pela Universidade do Estado da Georgia, nos Estados Unidos, analisou a relação entre cuidar dos filhos e o estado emocional e sexual do relacionamento dos participantes.

Integraram o estudo 487 casais heterossexuais, que foram divididos entre três grupos: um em que as mulheres assumiam a maior parte das responsabilidades com os filhos; outro em que os homens o faziam; e um terceiro em que havia divisão.

Na hora de analisar os cuidados, foram considerados atenção física e emocional, interação e supervisão. Já o relacionamento foi estudado em vários aspectos, como a frequência de brigas e relações sexuais, bem como a satisfação dos dois diante do quadro.

Os pesquisadores constataram que, no grupo em que os homens cuidavam mais dos filhos e naquele em que as tarefas eram divididas, havia mais felicidade no relacionamento e maior frequência de atividade sexual. No grupo em que a mulher tinha que se dedicar mais ao filho, os estudiosos registraram mais insatisfação.

Daniel Carlson, líder do estudo, aponta um fato interessante: se a felicidade entre homens que ajudam mais é mais frequente, constata-se a importância que a presença como pai tem para o homem: “Essa pesquisa mostra que dividir os cuidados com os filhos com um parceiro faz bem para os dois sexos”.

TEXTO DELuiza Monteiro
FONTEBebe.com.br
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS