Young entrepreneur is multitasking on top of a mountain rock

Por Rafaela Félix

Mulher, você não precisa ser radical, feminista ao extremo, ou se abster por demais. Você não precisa ir de extremo ao extremo para mostrar sua força e o quanto você é importante. Você já nasceu sendo especial.

Há quem chame de sexto sentido este dom incrível da mulher ter uma sensibilidade aflorada. É como se pudesse “sentir o cheiro” de algo bom ou ruim que vai acontecer. Algumas até avisam, e depois argumentam: “Eu te avisei…”. Ah como isto é bom rs.

Algumas desenvolvem o papel da mulher à moda antiga, que se casa, tem filhos, cuida da família, abre mão de algumas noites mal dormidas para atender às necessidades do filho ou até mesmo só por olhá-lo e conferir: “Ele está respirando”. São parceiras dos seus maridos, ou namorados, são dedicadas à família, escolheram viver os papéis, e quantos são, de uma dona de casa e tanto!

Não, não as olhe como “deixaram seus sonhos para trás”: só elas sabem o quão gratificante é ter o aconchego da sua família. Outras rompem, não decidiram exercer este papel, tiveram que se submeter a uma rigidez familiar, dos pais, ou dos maridos, mas um dia voltam a sonhar e olham para trás com a sensação de dever cumprido.

Há outras que tomam no colo seu filho, saem à procura de sustentá-los, sozinhas, ou com ajuda dos familiares e amigos, dão o sangue pelo bem mais precioso que têm. À noite muitas vezes choram escondidas, com medo de não darem conta do recado, mas elas sabem, bem lá fundo, a força que têm. Lavam o rosto, passam um batom, ou colocam aquele tênis despojado, e saem novamente para outro dia de luta. Elas não podem parar.

Essas também existem. Se empoderam, crescem na vida, vão em busca de seus objetivos, sem depender de ninguém. Por vezes se deparam com a solidão, ou com muita gente a sua volta. Ah, mas como elas sabem dar a volta por cima! Já passaram por tantas e tantas, que conseguem levar para a vida: “Isso também vai passar.” Se relacionam, desistem, superam e voltam a sonhar. Talvez por alguns momentos, pensam em desistir, mas elas acreditam tanto na vida.

Há outras que, por desdobramentos da vida, se entregam. Largam tudo, até a si mesmas, se deparam com o túnel sem saída. Algumas voltam, outras se aprofundam, mas continuam com uma garra, mesmo que sutil, imperceptível, de lutar por algo.

Há aquelas que constituem uma família, casam, têm filhos ou não, seja pelos desdobramentos da vida, seja por escolha, seja por qualquer outro motivo, e ainda trabalham fora.

Cuidam da casa como ninguém, dão conta dos filhos ou sobrinhos, ou ainda ajudam a amiga que teve um bebê, lavam roupa, passam, cozinham, saem para trabalhar, buscam o sucesso profissional. Algumas pessoas não conseguem entender como elas fazem tudo isso, às vezes, nem mesmo elas. E ainda voltam para a casa, cansadas… cuidam do marido, quase como filho rs, e ainda lhes sobra tempo para sair com as amigas, ler um livro, assistir um filme, ou algo do tipo.

E quantos e quantos tipos de mulheres não existem?
Não há como defini-las por aqui. Cada uma tem seu jeito singular de ser, é única e faz a diferença. Não julgue a mulher que a rodeia, não se julgue como “um tipo” pior ou melhor do que as outras. Seja você, seja autêntica. Vista-se de si mesma e saia para brilhar! Mas volto a repetir, nunca, em hipótese alguma, se compare. Você é única, com suas qualidades e com seus desafios.

TEXTO DERafaela Félix
FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS