Com o intuito de acabar com a exaustão e conquistar mais resistência e energia para enfrentar a grande quantidade de gravações, a atriz Nanda Costa procurou o médico nutrólogo Antonio Cláudio Goulart Duarte para fazer ajustes metabólicos e também na sua alimentação.

Após alguns exames apontarem os alimentos que eram ou não benéficos para seu corpo, Nanda colocou em prática as orientações do médico e passou a ter mais disposição, dormir melhor, não se sentir mais estufada e até se livrou de suas crises de sinusite.

Análise metabólica

“Na nutrologia, avaliamos como o metabolismo está funcionando, identificamos erros metabólicos e, a partir deles, programamos os consertos, que são ajustes na alimentação e suplementação”, explica Goulart.

A avaliação inclui exames físicos e laboratoriais, como o hemograma, mas também busca conhecer hábitos do paciente, como, por exemplo, seu padrão de sono e alimentação, hobbies e também presença de alergias ou intolerâncias. A partir destes dados, é possível traçar o mapa metabólico do indivíduo.

Pelo Bispo!

A post shared by Nanda Costa (@nandacostareal) on

O objetivo é descobrir o que deve ser excluído e o que deve entrar na alimentação para potencializar o funcionamento do metabolismo. “Às vezes, mesmo seguindo uma dieta, o paciente não ganha massa magra, não consegue emagrecer ou não atinge o resultado que deseja. Por isso é importante avaliar a parte metabólica e indicar suplementações quando necessário”, explica o nutrólogo.

Cardápio de Nanda Costa

No caso de Nanda, foram cortados do cardápio 4 alimentos principais: leite e seus derivados, carne vermelha, frutos do mar e pipoca, entre alguns outros. Além da adaptação, ela foi orientada a avaliar melhor os alimentos que ingere.

O nutrólogo explica que a carne, a pipoca e os frutos do mar foram retirados do cardápio da atriz para que, no lugar deles, ela comesse outros de valor energético semelhante, mas melhores nutricionalmente.

“A Nanda precisa de energia por causa das atividades físicas que pratica, então não reduzimos a ingestão de calorias, só fizemos trocas visando a qualidade delas”, explica o médico.

Identificar intolerâncias alimentares
De acordo com Goulart, é possível observar três grandes benefícios apenas um mês depois de eliminar alimentos que não são bem aceitos pelo nosso organismo:

“Em duas semanas, a pessoa já tem a clara sensação de estar mais leve. Ela mesma começa a perceber uma melhora no humor, se sente mais calma, menos implicante e os outros também começam a perceber isso. Após um mês, quem convive com ela passa a perceber uma aparência mais jovem, mais bela e passam a perguntar o que a pessoa tem feito”, ressalta o nutrólogo.

Os dois ou três primeiros meses após as mudanças na alimentação são voltados para ajustes metabólicos e melhora da imunidade. Por isso, segundo Goulart, é comum as pessoas que passam por esta adequação alimentar terem menos gripes, resfriados, problemas respiratórios e até infecções recorrentes.

Os ajustes metabólicos também são responsáveis por diminuir as inflamações no metabolismo e contribuem para um controle melhor na percepção de saciedade.

Reeducação alimentar
O emagrecimento é uma das primeiras consequências do processo, e isso, garante o médico, sem que o paciente deixe de comer por prazer.

“Restringimos alguns alimentos, mas a variedade continua muito grande. O indicado é comer a quantidade suficiente para se sentir saciado, sem restrições de quantidade, o que acaba com as compulsões alimentares. O intuito é manter uma alimentação de qualidade sem tirar a satisfação em comer e sem afetar a vida social do paciente”, conclui Goulart

TEXTO DEGIOVANNA MAZZEO
FONTEVix
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS