“Estás a perder-me devagarinho, mas seguramente, mesmo que tenhas prometido que nunca o farias. Fizemos um pacto para permanecer amigos, independentemente do resultado e para salvar o amor que ainda restava entre nós.

Nós desejamos-nos um ao outro e apreciamos demasiado a companhia um do outro para nos deixarmos ir em direções separadas.

Mas, infelizmente, não posso continuar a lutar por aquilo que nos resta se tu não estiver disposto a lutar. Estás a me perder e nem percebestes.

Por cada vez que não atendes as minhas chamadas, estás a perder-me.

Deixa-me a sentir impotente e patética por tentar. Eventualmente, não serás um número que eu memorizei e nem sequer entrarás no meu pensamento quando eu precisar desesperadamente de conversar com alguém. Já me senti apoiada por ti, mas esse sentimento está a morrer lentamente.

Eu sempre fui carinhosa contigo e estive lá para ti quando precisaste de mim, mas já não está a ser recíproco.

Por cada vez que recusas um convite meu para sair, está a perder-me.
O que é que aconteceu a todos os objetivos que queríamos riscar fora da nossa lista? Eu sei que me lembro deles.

Mas e tu? É patético que eu nem consiga te encontrar para que possamos tomar um sorvete. Claramente, não me queres ver mais e eu tenho que o aceitar.

Por cada vez que expressas o teu amor por mim mas escolhes outra, estás a perder-me.

Eu lembro quando falavas sobre mim, dessa maneira e escolhias-me sobre qualquer outra pessoa. Tudo que eu já fiz foi por você, e agora nem consegues ver o quanto me dói ouvir-te falar e esfregar isso na minha cara. Dói mais do que qualquer bofetada.

Por cada vez que o meu snap for aberto e o meu texto não for respondido, estás a perder-me.

Eu envio-te snapchats propositadamente para ver se me estás a ignorar e o meu ponto foi provado uma e outra vez. Agora eu pergunto-me por que é que eu me preocupo. Eu sei que estás deliberadamente a ignorar-me.

Por cada vez que me fazes deitar na cama a chorar, perguntando por que é que eu não sou o suficiente, estás a perder-me.

Nem precisas de fazer nada para me fazeres sentir desse jeito além de seres aquela pessoa que eu conhecia e amava. Eu fui de prioridade para um fardo esmagador.

Tudo o que eu fiz foi escolher-te, apoiar-te, acarinhar-te e amar-te.

E depois de tudo o que passamos juntos, nem sequer tens a cortesia de me dar o mesmo em troca. Deixaste-me a sentir incrivelmente indesejada e indefesa, eu estou farta de esperar que percebas isso.

Agora eu estou no ponto em que não preciso de ser afastada porque eu decidi facilitar-te a vida e simplesmente afastar-me.

Eu sei que vai perceber que algo está errado, quando estiver alguns dias sem nos falar. Eu sei que quando estenderes a mão e eu der o meu doce tempo de resposta, ou ficar seca contigo, vai-te incomodar. Vais pensar demais sobre o porquê de eu já não ser a mesma.

Quando veres a ilusão de eu ser amada por alguém que eu vou retratar no meu perfil social vai ficar com ciúmes e sentir-se decepcionado por me ter perdido. A verdade é que não haverá outro porque a única pessoa que vai me amar nestes dias sou eu mesma.

Irás sentir a mesma derrota que eu tenho sentido dentro do meu coração durante estes meses. De repente vai lembrar de todas as razões pelas quais me amaste e que estás pronto para mim.

Mas vai perceber isso quando eu já não tiver intenções de voltar.

É a tua vez de sentir o desânimo, a confusão, a dúvida, a preocupação e a mágoa. É a tua vez de te sentir-se não amado e indesejável ​​durante meses a fio.

É a tua vez de ter um milhão de perguntas sem resposta. E é a tua vez de perceber que sou tudo o que querias durante este tempo todo e voltar a rastejar por mim, implorando por mais uma oportunidade.

E é a minha vez de te afastar para longe. Tu afastaste-me demasiado para me ter de volta, por isso eu vou embora por mim .

Estou farta.”

Fonte:Yourtango

FONTEInspiringlife
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS