James Isaac, da Nova Zelândia, tem apenas nove anos de idade e sofre de autismo. Por ser autista ele tem dificuldades em se socializar.

Porém a dois anos e meio James ganhou um presente que mudaria sua vida, o cãozinho Mahe.

O Mahe é um cão de assistência emocional, ele teve um treinamento de 6 meses na Assistance Dogs New Zealand Trust, que ajuda crianças com autismo e diversas outras deficiências, incluindo paralisia cerebral.

O animal é o melhor e mais leal amigo de James, que basicamente conta com Mahe durante 24 horas por dia, pois o cãozinho recusa-se a sair do lado de seu dono sequer um instante.

A sua dedicação é tanta, que James precisou passar por ressonâncias magnéticas, por causa de suas constantes convulsões, os médicos permitiram que Mahe estivesse presente durante o exame.

A cena é tão comovente que os pais de James registraram esse momento. O cãozinho se aconchegou perto de James, com uma atitude protetora, ficou deitado junto ao menino enquanto o mesmo se recuperava de uma anestesia geral.

De acordo com Michelle, mãe de James, sair com ele costumava ser uma tarefa muito difícil, até que conheceu o cachorro. “Nós não podíamos ir a um café com a família.

James ficava muito ansioso e queria sair imediatamente, mas quando Mahe chegou, James apenas sentava lá e nos esperava terminar o café”, disse ela em entrevista a Stuff.com.nz.

De acordo com Wendy Isaacs, gerente de desenvolvimento de financiamento da Assistance Dogs New Zealand Trust, “há uma certa magia entre a relação de crianças com autismo e cães, porque eles simplesmente conseguem acalmá-las”, disse.

“Essas crianças conseguem manter contato visual com o cão, mas muitas das vezes, não conseguem fazer isso com os próprios pais ou irmãos”, completou.

Com informações de: Jonal da Ciência

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS