O campo da sexualidade humana é bastante complexo, não seria possível fazer uma abordagem completa sobre ele neste artigo, dessa forma, abordo, aqui, ainda que de forma superficial, a libido feminina.

O objetivo é apontar os possíveis fatores que possam trazer dificuldades para a mulher manter-se sexualmente interessada pelo parceiro, em especial, nos relacionamentos de média e longa duração. Seguramente, a maioria dos leitores têm conhecimento de que a libido masculina e feminina são ativadas por estímulos diferentes.

Todos os sentidos são recrutados para ativar a libido: olfato, tato, paladar, visão e audição. Entretanto, para a estimulação da libido do homem, o estímulo visual é o mais requisitado, enquanto que, para a mulher, é o estímulo auditivo.

Convém lembrar que estamos tratando da regra geral, obviamente, existem as exceções que fogem a este padrão. Nos contextos relacionais, do ponto de vista da motivação sexual, percebemos muitas queixas por parte dos casais. De um lado, um homem queixando-se de que sua companheira mostra-se quase sempre desinteressada sexualmente, de outro lado, uma mulher que sente-se cobrada, culpada e, de fato, desestimulada.

Entretanto, é preciso entender que essa mulher não está desmotivada sem motivo, bem como faz-se necessário liberá-la desse sentimento de culpa, visto que, no geral, essa libido apática surgiu dentro da própria relação. Ocorre que, as mulheres necessitam de muito mais ingredientes para ativar o interesse sexual. Elas dificilmente desvinculam o ato sexual do afeto, é como se eles fossem indissociáveis para a ativação da libido delas.

No geral, quando uma mulher percebe que o companheiro está interessado em fazer sexo apenas por uma necessidade fisiológica, ela tende a sentir-se pouco ou nada estimulada, pois ela precisa e espera ter as suas necessidades emocionais supridas também. Ela precisa sentir-se acolhida emocionalmente pelo parceiro, ela precisa sentir-se desejada além dos seus atributos físicos.

Uma mulher discerne, em segundos, um beijo do tipo “cumprir tabela” de um beijo com afeto e desejo mesclados. Carinhos rápidos e práticos, sem entrega, sem interesse e sem afeto, além de não surtirem efeito para a libido de uma mulher, ainda a deixarão muito irritada, sim, pode acontecer. Para a mulher aguçar o desejo sexual, é imprescindível que o parceiro deixe a pressa de lado e invista em carinho e preliminares.

Na cultura ocidental, percebemos uma extrema preocupação dos homens com a questão do tamanho do órgão sexual, enquanto parece haver pouco ou quase nada de interesse em conhecer sobre as necessidades afetivas de uma mulher. No geral, os homens acreditam que possuindo um órgão sexual avantajado é o suficiente para habilitá-lo a tornar-se o companheiro sexual perfeito, e não é por aí.


A questão vai muito além da anatomia. Então, especialmente, nos relacionamentos mais longos, é muito comum a mulher sentir-se desestimulada sexualmente, simplesmente porque as relações sexuais passaram a acontecer de forma automática.

A mulher é estimulada pela forma como é tratada, ela acha a gentileza excitante, ela quer receber uma mensagem carinhosa e insinuante no meio da tarde, dentre outras sutilezas. Sexo que envolve só o corpo, por satisfatório que seja, deixa sempre uma lacuna. Creio que vale a pena trocar a frequência por qualidade, se o cotidiano está corrido e cansativo, reserve um dia na semana para namorar, e não economizem carinho e afeto.

É importante gostar de namorar, é preciso estar de corpo e alma no carinho que esteja fazendo. As mulheres são complexas mesmo, mas com paciência e interesse, tudo torna-se compensador. É que uma mulher não consegue namorar somente com o corpo, elas coloca a alma em tudo o que faz, e a alma só é estimulada com afeto, muito afeto.

TEXTO DE Ivonete Rosa
FONTEPortalraizes.com
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS