A vida está muito corrida! Os dias estão cada vez menores para que possamos realizar todas as tarefas que precisamos ou desejamos. São muitas horas perdidas no trânsito. As refeições estão mais rápidas e temos menos tempo para dormir e descansar.

A falta de tempo e de disponibilidade para o outro são questões que acometem a maior parte da população mundial. Com tanta pressa e estress diário o contato e o relacionamento entre as pessoas estão cada vez mais virtuais, por serem mais rápidos e práticos.

Aproximando pessoas

O mundo virtual é mais rápido, mais direto e imediato. Além disso, a todo momento um novo dispositivo de relacionamento virtual é criado, o que facilita e estimula esse tipo de interação social. Há uma variedade grande de meios de comunicação virtual, entre eles e-mail, redes sociais, torpedos, chat, mensagem de texto, blog e tantos outros.

Tais formas de relacionamento são importantes e facilitam a vida moderna e rápida a qual estamos inseridos. São capazes de diminuir distâncias entre pessoas que vivem longe. Aceleram a comunicação tanto no trabalho, quanto no campo pessoal. Geram oportunidades de reencontros, produzem menor gasto para os usuários e para as empresas. Globalizam o acesso a informações.

O grande número de pessoas que são facilmente acessadas pela internet permite que haja também movimentos politizados e organizados pelas redes sociais, que por diversas vezes promovem uma mobilização social e governamental.

Além disso, certa vez ouvi de uma paciente que faço atendimento online, pois vive fora do Brasil com o marido há trinta anos e que exemplifica outra importante vantagem dos dispositivos virtuais. Ela e o marido, pelo menos três vezes por semana, se sentam à mesa de jantar com o computador ligado e “jantam” com seus familiares que moram em São Paulo. Ou seja, nesse caso, o mundo virtual foi capaz de promover um reencontro e manter o contato entre pessoas queridas, mas que, por uma imposição geográfica, estão distantes fisicamente.

Mas, então, há algum problema?

Verificamos que o contato físico entre as pessoas está diminuindo. Cada vez mais escutamos histórias de namoros, amizades, encontros, que duram por bastante tempo até que as pessoas decidam se encontrar pessoalmente.

Inúmeras são as histórias de pessoas que se aproveitam da virtualidade para mentirem a respeito das suas informações pessoais, utilizando fotos falsas ou dados inverídicos para estimular o interesse e a curiosidade do outro. Com isso podemos pensar, até onde esse tipo de relacionamento pode ser considerado real?

Um comportamento que precisamos estar atentos, por ser cada vez mais comum, é observar até onde alguém substitui, de forma prejudicial, seus relacionamentos pessoais pelos virtuais. Existem alguns sinais que podem sinalizar essa transferência O principal comportamento observado é uma diminuição da vida social, assim como a perda do interesse de realizar atividades que não sejam através de um computador.

Por trás dos relacionamentos virtuais podem existir pessoas com muitas dificuldades nas relações interpessoais, como uma timidez excessiva, medo ou insegurança de se expor ao outro. Por isso, a virtualidade se torna uma forma de refúgio. E é nessa situação em que precisamos estar atentos, já que esse distanciamento da vida real e das pessoas pode ser muito prejudicial para o desenvolvimento emocional e psíquico de uma pessoa.

Distanciando pessoas

Devemos, portanto, ter cuidado de como utilizar as ferramentas virtuais. As amizades e os relacionamentos afetivos não devem ser exclusivamente virtuais. As pessoas precisam de contatos pessoais, como abraços, sorrisos, beijos, toques. A interação direta com o outro permite que os indivíduos se sintam pertencentes a algum grupo real. A ausência disso gera relações cada vez mais distantes, impessoais, solidão e depressão.

É dessa forma, presencial, que a nossa rede de apoio, geralmente formada pela família e amigos próximos, fornece suporte emocional para lidarmos com os problemas que surgem ao longo da vida. Assim, as pessoas sentem-se menos solitárias e desamparadas. Quem não gosta se sentir um abraço apertado de uma pessoa querida ou receber um colo quando passa por alguma situação difícil?

A busca por um ponto de equilíbrio

Para tudo existe um equilíbrio! A vida virtual promove inúmeras recompensas, porém, não deve se tornar uma fuga para aumentar o distanciamento entre as pessoas e, consequentemente, exacerbar as dificuldades de cada um.

O importante é sabermos utilizar, a nosso favor, os benefícios que cada tipo de relacionamento promove, de modo que possamos viver mais plenamente e próximos daqueles que amamos.

TEXTO DEViviane Lajter Segal
FONTEA caminho da mudança
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS