SENHOR, perdoa-me se não rezo a oração que teu filho nos ensinou, pois julgo-me indigno de tão bela mensagem. Refleti sobre esta oração e cheguei às seguintes conclusões:

Para dizer o “PAI NOSSO”, antes devo considerar todos os homens, independentemente de sua cor, raça, religião, posição social ou política, como meus verdadeiros irmãos, pois eles também são teus filhos; devo amar e guarnecer a natureza e os animais, pois se tu és meu pai, também tu és meu criador, e quem criou a mim, também criou a natureza.

Para dizer “QUE ESTAIS NO CÉU”, devo antes fazer uma profunda análise em minha consciência, procurando lembrar-me quantas vezes te julguei como um celestial pai, pois, na verdade, sempre vivi me preocupando com as coisas materiais.

Para dizer “SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME”,devo antes verificar se não cometi sortilégios ao adorar outros deuses até acima de ti.
Para dizer “VEM A NÓS O VOSSO REINO”,devo antes examinar minha consciência e procurar saber se não digo isso apenas por egoísmo, querendo de ti tudo, sem nada dar em troca.

Para dizer “SEJA FEITA A VOSSA VONTADE”,devo antes buscar meu verdadeiro Ser e deixar de ser falso cristão, pois a tua vontade é a união fraternal de todos os seres que criastes.Para dizer “ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU” devo antes deixar de ser mundano e me livrar dos desenfreados prazeres, das orgias, da inveja, do orgulho e do ciúme.

Para dizer “O PÃO NOSSO DE CADA DIA DAÍ-NOS HOJE”, devo antes repartir o pão que me destes com os meus irmãos mais carentes e necessitados, pois é dando que se recebe; é amando que se é amado.
Para dizer “PERDOAI AS NOSSAS DÍVIDAS ASSIM COMO PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES”, devo antes verificar se alguma vez tornei a estender a mão àquele que me traiu; se alimentei aquele que me tirou o pão; se dei esperanças e acalentei quem me fez chorar, pois só assim terei realmente perdoado aos meus devedores.

E para dizer “E NÃO NOS DEIXAI CAIR EM TENTAÇÃO, MAIS LIVRA-NOS DO MAL”, devo antes deixar limpo o foco dos meus pensamentos; amparar a mão estendida, socorrer o pedido de aflição, alimentar a boca faminta, iluminar os cegos e amparar os aleijados, auxiliando a construção de um mundo cada vez melhor.

E finalmente Pai, para dizer “AMÉM” deverei fazer tudo isso agradecendo ao meu criador, cada segundo de minha vida, como a maior dádiva que poderia receber.

No entanto Senhor, embora procure sinceramente assim proceder, ainda não me julgo suficientemente forte, no intuito de tudo isto te prometer e realmente cumprir. Por isso perdoa-me Senhor toda a minha imperfeição, mas estou lutando sinceramente para um dia rezar essa oração que Jesus nos ensinou com verdadeira convicção de espírito e pureza de coração.

autoria do cavaleiro Princípe Asklépius D’Sparta

FONTEAve Luz
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS