Ela aprendeu a dançar conforme toca a música . Ainda me recordo dos bons e adoráveis momentos em que ela era apenas uma criança. Que saudades tenho das sapatilhas espalhadas pela casa quando ela chegava da escola.

Os anos voaram, a minha menina agora é uma mulher, têm responsabilidade, compromisso, uma agenda lotada, sem falar que no final de semana ela precisa ter jogo de cintura, para dividir afeto, amor e atenção comigo e os amigos.

Ela aprendeu a dançar conforme toca a música, deixou para trás o medo de arriscar-se, para ir muito além de suas possibilidades, tendo como objetivo primordial a realização de seus sonhos, minha menina descobriu que tem asas e sabe voar.

Recordo-me daquela criança tímida e medrosa que corria para os meus braços buscando segurança e atenção.

Hoje, me deparo com uma mulher de passos firmes e fortes, extremamente corajosa, determinada e ousada. Minha adorável filha ainda carrega em seu dia a dia a meiguice, o coração solidário e sonhador.

Confesso que tive medo dela se perder nos recomeços da vida, de machucar o coração, ou abrir mão de seus sonhos.

As circunstâncias da vida e as adversidades a fizeram uma mulher incrível e sensacional, ela fala com firmeza e integridade, assume responsabilidade e ama o que faz.

De menina para mulher, deixou de lado as brincadeiras para tornar-se uma executiva.

Quando criança sentava-se à mesa com o seu caderno de desenho, lápis de cores e pinceis fazia o sol, rosas, casa, a lua, as estrelas, ela de mãos dadas com o papai e a mamãe.

Ela continua a sentar-se à mesa, só que agora é com o seu notebook, agenda e não abre mão de uma xícara grande de café forte, extremamente quente e amargo, fazendo seus projetos, planejamentos, elaborando reuniões e palestras, até altas horas da noite.

Jamais duvidei do seu potencial, sempre soubera que ela seria uma excelente gestora, executiva, porque, sempre fora uma boa filha, boa aluna, uma boa pessoa.

Sempre foi correta nos seus afazeres, sempre lutou pelos seus objetivos, sempre batalhou pelo que quis e nunca chorou ou reclamou pelas mazelas da vida, sempre foi alguém determinada, e muito cuidadosa, para não magoar as pessoas com as suas palavras e atitudes.

Quando a família se reúne, vemos nela o traço e o esplendor da mulher de provérbios, vivendo em um tempo totalmente diferente, no entanto, mantém os mesmos traços e personalidade da mulher virtuosa.

Ela é uma joia muito rara de se encontrar. Não se preocupa com o que as pessoas acham ou pensam a seu respeito. É tanto, que se por ventura, alguém reservar um tempo do seu dia, para falar mal dela, não fará diferença, ela sabe do seu real valor.

Ela sabe o que realmente importa; nada tira a sua paz e mansidão ela não liga com os rótulos que a sociedade procura colar nos seus trajetos, ela sabe que acima de tudo e todos, há uma força maior que a rege, que cuida de cada um de seus passos, se o universo com toda a sua magnitude lhe acolheu, o que os demais pensam não tem importância, ela sabe o quanto é importante e amada pelo Mestre – seu eterno e único Criador.

Não é por acaso que ela hoje não anda mais de sapatilhas, ela é ousada, sabe do seu potencial, ela trocou as coisas de meninas, tornou-se mulher, ela sabe muito bem equilibrar as adversidades da vida, tão bem, quanto se equilibra sobre os saltos. Ela é menina, princesa e mulher!

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS