Por Marilyn Caylor

Estima-se que hoje no mundo exista aproximadamente um milhão de casais por aí que estão esperando para adotar uma criança.

Colocando isso em uma perspectiva, significa que só nos Estados Unidos, há 36 casais para cada garoto(a) que é colocado para adoção.

Os números não são muito favoráveis para alguém que hoje queira adotar uma criança. Isso acontece porque as leis de adoção geralmente são demoradas e nem todos conseguem realizar esse sonho.

Por isso que alguns casais preferem procurar em outro lugar. Vemos celebridades como Madonna, Angelina Jolie e até Julie Andrews criaram crianças de países do terceiro mundo… mas nenhuma de seu filhos veio de Uganda.

Esta nação africana em particular, têm histórias comoventes sobre seus orfãos para contar, que só vieram à tona depois que as crianças aprendem a se comunicar na língua do pais onde vão morar.

Mas, se você acha que as histórias deles são sobre coisas terríveis como guerra, abuso ou fome, pense novamente. A verdade real é  muito mais sombria.

Com tantas famílias esperando para adotar, organizações inescrupulosas surgiram em todo o mundo, o objetivo sempre é o mesmo: lucrar com adoção.

Jessica e Adam Davis adotaram uma menina ugandense de 5 anos da agência European Adoption Consultants (EAC) em 2015. O casal de Ohio já tinha quatro filhos, mas eles tinham muito amor para dar e queriam cuidar de um órfão carente.

A EAC disse a Jessica e Adam que o pai de Namata havia falecido e que a mãe estava a negligenciando em casa.

Não havia dúvida em suas mentes de que a menina tinha sido abusada, nunca havia recebido educação e não estava sendo alimentada corretamente. Naturalmente, seus corações clamavam por ela e queriam salvar Namata de uma educação tão horrível!

Criança adotada revela a verdade

Após cerca de 6 meses em sua nova casa, o inglês de Namata finalmente melhorou o suficiente para ela compartilhar um segredo arrepiante com Jessica.

A menina já tinha uma família que ela estava muito feliz! Sentia falta da mãe, que a levava para a escola todos os dias.

Leia também: 12 sinais de que seu cachorro te faz de trouxa

Jessica e Adam ficaram horrorizados quando perceberam que haviam tirado uma criança de sua amada família. Adam disse à CNN:

“O único trauma que esta criança experimentou foi porque nós essencialmente colocamos uma ordem para uma criança. Ela estava em casa e feliz com a mãe, até que eles a selecionaram para nós.”

Mas não foi apenas a família Davis que foi enganada. A verdadeira mãe de Namata acreditava que sua filha estava sendo patrocinada pelo casal americano por um ano ou dois, onde ela receberia uma excelente educação antes de voltar para casa.

Keren Riley, que dirige um grupo chamado Reunite Uganda, ajudou Namata a entrar em contato com sua mãe biológica via Facetime. Foi quando a gravidade da situação foi finalmente descoberta.

Em uma reviravolta cruel do destino, essas mães ugandenses pensam que estão temporariamente deixando seus filhos para serem educados na América, mas as crianças estão sendo vendidas para famílias que pensam estar adotando um órfão em necessidade.

Jessica e Adam foram informados de que eles poderiam legalmente manter Namata, mas Jessica se recusou e disse que não a comprou no Walmart. O casal teve a papelada de adoção invertida, e Namata novamente se reuniu com sua mãe.

Graças à sua história, o Departamento de Estado descobriu outras adoções que eram tão dissimuladas quanto a da Namata, e conseguiram encerrar as atividade da EAC para sempre.

Veja a reportagem da CNN:

Texto originalmente publicado no Share Tap, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Bem Mais Mulher

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS