O autismo é um problema psiquiátrico que costuma ser identificado na infância, entre 1 ano e meio e 3 anos.

Esse problema afeta de forma significativa a capacidade de interação social, as habilidades de comunicação social e comportamentos anti-sociais.

Será?

Então olha o que sete jovens com autismo fizeram em Brasília!

Eles simplesmente formaram uma banda de Rock and Roll. É quase impossível negar que essa notícia surpreenda a maioria das pessoas, pois precisamos reconhecer que existe muito pré-conceito que impedem que a maioria enxerguem as habilidades de pessoas autistas.

Interpretando músicas autorais e clássicos do rock: Pink Floyd, Legião Urbana, Oasis, Mamonas Assassinas, AC/DC, Capital Inicial e daí por diante, a Timeout (“Tempo fora”, em tradução livre) rompendo paradigmas em cima do palco.

A cada apresentação, Ivan Madeira, João Daniel Simões, João Gabriel Mello, João Henrique Lopes, Marcelo Bacelar, Matheus Winker e Thiago Carneiro, que têm entre 13 e 22 anos, os garotos cantam para o mundo que são capazes, sim, de produzir música de qualidade, pedindo passagem para aqueles que subestimam suas potencialidades.

“Usualmente, pessoas com autismo são subestimadas, infantilizadas e colocadas em um lugar de exclusão, diferenciadas das pessoas consideradas ‘normais’. Acreditamos que a banda é uma verdadeira transgressão social nesse sentido”, afirma o psicólogo Paolo Rietveld, o idealizador da Timeout.

A Timeout, foi criada em setembro de 2017, dentro do Instituto Ninar. Paolo que é voluntário da entidade, percebeu que os meninos tinham habilidades musicais e foi assim que nasceu a Banda.

O nome significa um “tempo fora” de todos os termos e técnicas da terapia tradicional. Aquele momento em que os meninos se preocupam apenas em se divertir. Desde que começaram a rolar os ensaios e as apresentação, Paolo percebeu mudanças no comportamento dos garotos e de seus pais.

“Vemos a autoestima deles crescer a cada dia, nascer um objetivo de vida e a sensação de terem achado um lugar no mundo. João Henrique, nosso baterista, diz que foi a oportunidade que teve para se sentir realizado fazendo o que gosta. Os pais estão cada dia mais engajados e participativos”, destaca.

A banda fez uma grande apresentação no maior evento de motos da América Latina: o Brasília Capital Moto Week, no último dia 22 de julho.

A princípio, Paolo estava um pouco receoso, pois haveria muitas pessoas no local, mas a Timeout arrasou – a reação do público não poderia ter sido melhor.

“Cantaram juntos, curtiram e no final choraram. A energia que eles passam é surreal! Fazemos tudo para apresentar a música com a maior qualidade possível, mas fazemos questão de manter a essência com e o jeito de ser dos meninos”, lembra o psicólogo.

“Ela é perfeita do jeito deles, mas temos certeza que a qualidade surpreende as pessoas que esperam uma banda formada por pessoas com autismo. Nós mesmos nos surpreendemos a cada dia que passa”, acrescenta.

A banda arrasa no som, aumente o volume:

Informações: Razões Para Acreditar

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.