abstract silhouette of happy young jumping girl, healthy life

Por Rafael Bergamaschi

Escritos milenares contêm ensinamentos que podem ser úteis a todos, pregando valores como humildade, respeito às diferenças e até cuidado com a natureza, veja

Bíblia: livro dos Salmos foi escrito para responder aos principais questionamentos humanos
O mundo muda, a tecnologia avança, civilizações inteiras são extintas. Mesmo com tanto progresso, as principais aflições humanas parecem permanecer as mesmas ao longo da história.

Será que estou trilhando o caminho certo? Quanta riqueza preciso para viver bem? Qual o segredo da felicidade? É justamente em busca de respostas para questões como estas que o Livro dos Salmos foi escrito.

“Os salmos narram as mesmas histórias contidas na sagrada escritura, mas de uma maneira mais poética, em outro gênero literário”, esclarece dom Hildebrando, monge beneditino do Mosteiro de

São Bento, em São Paulo. O conjunto de 150 escritos, que data de 1500 a.C a cerca de 500 a.C., contém as principais orações das religiões judaico-cristãs. É através delas que o fiel dialoga com seu deus.

“Os salmos mostram o homem sentindo a necessidade de agradecer, mas também de lamentar, de formular o seu grito em meio ao sofrimento”, explica Matthias Grenzer, professor de teologia da PUC-SP. Originalmente cantados, os salmos representam uma característica inerente ao ser humano: quando o homem se sente amargurado ou radiante de felicidade, ele canta. Veja a seguir 10 lições que você pode extrair dos salmos bíblicos:

1. Leve a vida com humildade

Salmo 103:6 – “O Senhor faz justiça e juízo a todos os oprimidos.”

A ideia aqui é que devemos viver com humildade, independentemente de status ou classe social. “(o Salmo 106) Fala sobre um deus que está nas alturas, no mais alto dos céus, mas que sabe agachar-se para ir ao encontro dos mais necessitados aqui na Terra”, explica o professor Matthias Grenzer.

Segundo o especialista, a preocupação com as pessoas necessitadas é um dos elementos mais marcantes da tradição judaico-cristã. Leia também: Indivíduos humildes são mais propensos a oferecer ajuda do que as pessoas mais seguras de si

2. Seja grato

Salmo 92:1-2 – “Bom é louvar ao Senhor, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo/

Para de manhã anunciar a tua benignidade, e todas as noites a tua fidelidade;

Quando alguém faz algo para nos ajudar, agradecer significa ter consciência do que aconteceu e tirar uma lição disso. “Se você não agradece, as chances de cair no mesmo erro são muito maiores”, explica dom Hildebrando.

Saber agradecer é entender que uma nova realidade, com boas perspectivas, só foi possível por conta da interferência de alguém em seu favor. Leia mais: 9 atitudes simples para ser mais feliz no dia a dia

3. Respeite as diferenças

Salmo 47:1 – “Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de triunfo”

O primeiro verso do salmo 47 passa uma mensagem clara de tolerância religiosa, como explica o padre André. “Se o salmista clama para que todos os povos se unam em louvor a Deus, ele quer dizer o seguinte: deixemos de lado os nossos preconceitos para nos unir como irmãos”.

A ideia aqui é simples e direta: somos todos iguais perante a força divina. Veja: Amizades improváveis que superaram as diferenças

4. Cuide da natureza

Salmo 148:4-5 – “Louvai-o, céus dos céus, e vós, ó oceanos dos espaços celestes/ Louvem o nome do Senhor, porque ele mandou e tudo foi criado.”

No salmo 148 é celebrada a criação da Terra e do universo. Segundo Dom Hildebrando, é possível analisar o escrito sob uma perspectiva ecológica.

“A natureza foi criada para ser usufruída pelo homem, mas não de uma forma destrutiva”, diz ele, completando: “se todas as coisas são propriedades de Deus, o homem não tem o direito de extingui-las”. Aprenda: Como ensinar seu filho a amar a natureza

5. Nenhuma situação ruim é eterna

Salmo 4:7 – “Dizem muitos: quem nos fará ver a felicidade? Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz de vossa face”.

A esperança deve permanecer firme, pois, independentemente da situação vivida, as coisas tendem a melhorar. “Eu posso viver uma situação trágica, desanimadora na minha vida, mas os salmos propõem que existe sempre o amanhã, a mudança de situação”, explica Dom Hildebrando. Inspiração: Elas saíram da pobreza e construíram impérios

6. Viver bem é mais importante do que acumular riquezas

Salmo 49:16-17 – “Não temas, quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece/ Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará”.

Gratidão: saber agradecer é um dos ensinamentos dos salmos
Juntar bens materiais não é sinônimo de felicidade. “Às vezes a gente passa a vida inteira acumulando coisas e esquece de simplesmente viver”, diz o padre André Luiz dos Santos Firmino, da Ordem de São João da Mata.

Segundo este raciocínio, fazer o bem deve vir antes de ganhar dinheiro na lista de prioridades. Estudo aponta: Liberdade conta mais do que dinheiro para ser feliz

7. Os fins não justificam os meios

Salmo 1:1 – “Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores”.

“Ás vezes achamos que uma ação ruim é justificável se a intenção é boa”, diz dom Hildebrando, antes de completar: “existe apenas um caminho bom e um caminho mau”. Ou seja, não adianta tentar negociar. Pense: Você é sincero ou maldoso?

8. Não tome decisões de cabeça quente

Salmo 37:8 – “Deixa a ira, e abandona o furor; não te indignes de forma alguma para fazer o mal”.

Não importa o que tenham feito a você, tomar decisões de cabeça quente não é algo produtivo. “Quando você traz o mal para a sua essência, perde o parâmetro”, explica o padre André. Se acalmar é essencial para tomar decisões acertadas. Reflita: Quando calar pode ser a melhor escolha

9. Pare de culpar os outros

Salmo 7:3-4-5 – “Senhor meu Deus, se eu fiz isto, se há perversidade nas minhas mãos/ Se paguei com o mal àquele que tinha paz comigo (antes, livrei ao que me oprimia sem causa)/ Persiga o inimigo a minha alma e alcance-a; calque aos pés a minha vida sobre a terra, e reduza a pó a minha glória (Selá)”.

O Salmo 7 trata da importância do autoconhecimento. “Devemos nos policiar e nos corrigir para que não sejamos as causas dos nossos próprios problemas”, explica o padre André. Segundo o religioso, a transferência de culpa é uma característica típica dos seres humanos, algo que precisa ser combatido. “Nós somos falhos e precisamos reconhecer isso”, finaliza. Leia: E quando o problema é você?

10. A mentira não leva a nada

Salmo 12:1-3 – “Salva-nos, Senhor! Já não há quem seja fiel; já não se confia em ninguém entre os homens/ Cada um mente ao seu próximo; seus lábios bajuladores falam com segundas intenções”.

A sinceridade deve estar presente sempre. “O Salmo 12 fala sobre buscar a sintonia com o seu coração para que você fale a verdade”, diz o padre André.

As mentiras, por mais inocentes que sejam, acabam criando um mundo falso de faz de conta. Entenda: Por que mentimos?

Fonte: Delas – iG @ http://delas.ig.com.br/comportamento/2014-08-16/licoes-dos-salmos.html

TEXTO DERafael Bergamaschi
FONTEDelas.ig
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS