Um dia eu precisei amar minha dor. Era o único jeito que tinha de continuar vivendo. Ou aprendia, ou morreria com ela. Resolvi aprender. Desde então, minha dor é minha companheira, minha mestra, minha parceira. Deixou de ser minha inimiga no momento em que eu a olhei nos olhos e aceitei conhecê-la com mais propriedade.

Quis entrar nos mistérios de seus mecanismos com o intuito de poder administrar melhor as suas consequências.
Eu não a busco, mas, quando chega, abro as portas para que não force as janelas. Deixo que entre, ofereço-lhe um café, olho nos seus olhos para que cesse o medo e depois me empenho em deixar que fique o tempo necessário, até que se dissolva por si só, pela força do tempo.

Você tem um único inimigo que tem o poder de destruir você, um único e que mora aí dentro. A única pessoa que pode destruir você é você mesmo. Quando você escolhe a pior parte da vida, quando você escolhe o elemento mais mesquinho que você conseguiu produzir, para ser ele o mestre do seu coração, do seu pensamento.

Conversão é isso minha gente, é você lutar a favor de você mesmo, é você identificar que Deus coloca uma força em você capaz de lhe fazer vencer tudo aquilo que lhe destrói.
Senhor conceda-me a graça de eu nunca permitir que eu me destrua, que eu me impeça de chegar perto de Você, de conhecer Sua misericórdia, de conhecer o Seu amor!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS