O amor não vem com manual de instrução. Não se encontra sua definição na biblioteca central da cidade em um daqueles livros bonitos e antigos de capa dura e não conseguimos resolvê-lo com aquelas fórmulas mágicas de álgebra, em que descobrimos o valor de x apenas somando, multiplicando e dividindo.

No amor, precisamos, sim, somar e dividir, mas sem seguir qualquer regra matemática.

As pessoas têm uma mania de pensar que o amor é como um jogo de tabuleiro. Faz o cara sorrir no primeiro encontro, avança duas casas. Fala que quer casar e ter filhos, volta dez casas. Faz uma piada sem graça, volta mais três. Faz um sexo gostoso, avança todas as casas perdidas e passa direto pela cadeia. Não vai com a cara da sogra. Ferrou! Game over.

Não é assim. O amor chega naturalmente e não precisamos seguir protocolos. Se houver química, paixão, companheiro, vai haver amor. O cara vai gostar de você e você dele, independente se no primeiro encontro você comeu muito alho ou bebeu demais, se você usa aquela calcinha rasgada ou se suas piadas são a versão decorada do site HumorTadela.

Se ele decidir que gosta de você, minha querida, você será a mais bela das criaturas mesmo depois de sair inchada de uma sessão de limpeza de pele. E ele também. Você vai achar uma gracinha ver a barriguinha de chopp dele crescer e ainda vai falar com voz de nenê “meu gordinho”, e mesmo com todas as suas amigas achando isso o “ó”, você vai achar o máximo. Você vai se apaixonar, ainda mais, todas as vezes que ele te abraçar fedido do futebol, e encostando seu corpo suado, dizer que fez um gol para você.

O amor é bobo e a gente nunca vai entender porque todas essas pequenas coisas o fazem tão especial. É abstrato. Não tem cor, não tem cheiro, não tem segredo. É leve e está nos pequenos detalhes da vida. E, melhor ainda, cada um escolhe amar do seu jeito. No entanto, você nunca amará ninguém igual.

Por isso, relaxe. Não se preocupe e nem se culpe por não ter seguido “as leis da sedução” na primeira vez que saiu com ele. Seus defeitos ainda estão guardadinhos esperando para serem apreciados. Pare de achar pêlo em ovo e criar estratégias mirabolantes na sua cabeça em um dia nublado no sofá. Você nunca sabe o dia de amanhã. Seu gordinho pode estar cutucando o dente com palito em uma mesa de bar, esperando você chegar.

TEXTO DEAna Paula Mattar
FONTEAnapmattar
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher

Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS