Richard J. Davidson é um especialista em neurociência contemplativa, o ramo que estuda o impacto da meditação e outras práticas semelhantes em nosso cérebro. 

Este professor neurocientista da Universidade de Wisconsin dedicou mais de 10 mil horas ao estudo dos cérebros de grandes mestres budistas, entre eles o monge francês Matthieu Ricard e o mestre budista Mingyur Rinpoche. 

Davidson chegou à conclusão de que existem quatro qualidades essenciais para alcançar o bem-estar, aquele estado de paz interior pelo qual todos nós ansiamos, mas quão fugidia parece, especialmente quando temos que lidar com os problemas do dia-a-dia. 

Na verdade, para Davidson, o bem-estar psicológico não é um estado atingido, mas uma habilidade que se desenvolve. É uma mudança de paradigma interessante porque implica que, se alguém pratica, pode-se desenvolver essa habilidade. 

A chave está em estimular outras quatro habilidades que estão em sua base e estão enraizadas nos circuitos neurais. Ao fortalecer esses circuitos, também estaremos desenvolvendo bem-estar.

Como desenvolver um estado de bem-estar e paz interior duradoura? 

1. Resiliência 

Um mundo impermanente, como ensinado pelo Buda, produz sofrimento. É inevitável que tenhamos momentos ruins, momentos difíceis. A chave é como respondemos a eles e como somos capazes de nos recuperar. A resiliência é a velocidade com que alguém se recupera da adversidade, que está associada ao bem-estar.

A meditação melhora essa habilidade; No entanto, para que haja diferenças notáveis, você deve meditar cerca de 10 mil horas. Essa é a qualidade que leva mais tempo para produzir benefícios. No entanto, uma prática intermediária de meditação pode ajudar em geral com apego e, portanto, criar uma atitude mais saudável antes das emoções.

2. Prospecção

Davidson descreve esta qualidade como a capacidade de ver o lado positivo nos outros e na vida em geral, têm uma exploração positiva. No budismo e as religiões em geral, isto é conhecido como ver a bondade inata de todos os seres. Meditação da compaixão prática (como metta ou tong-len ) leva rapidamente ativações em circuitos cerebrais ligadas à prospecção ou a maneira que abordar as coisas. Gerar pensamentos compassivos muda seu cérebro e te faz feliz.

3. Atenção total 

Essa é a qualidade que talvez seja mais urgente de ser cultivada no mundo moderno, bombardeada por estímulos fragmentados de informação digital. De fato, a nova economia é baseada na captura de informações de pessoas. É por isso que alguns professores de meditação, como Alan Wallace, consideram que, como espécie, temos um déficit de atenção global. Além disso, existem numerosos estudos que mostram que a distração e a ruminação estão associadas à depressão e ansiedade. Por outro lado, os chamados estados de ” fluxo ” são caracterizados pela concentração. Davidson acredita que a meditação é uma maneira de educar a atenção.

4. Generosidade 

Segundo Davidson, comportamentos generosos e altruístas, ou simples gratidão, estão associados ao sentimento de bem-estar. Novamente, meditações que geram um senso de amor ou compaixão produzem a ativação de circuitos neurais ligados ao bem-estar. Certamente, quando uma pessoa ora por outra pessoa, a mesma coisa acontece.

Texto originalmente publicado no Rincon Psicologia, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Bem Mais Mulher

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS