Na vida, as ilusões vão além do visual e da óptica. Elas não são apenas visíveis, e existem em nossa psique para fazer com que nosso cérebro se confunda, pare e evite tomar medidas até que tais medos e dúvidas se dissipem.

As ilusões de vida nunca desaparecerão até que você as compreenda e possa ver além delas. Para te ajudar selecionamos oito ilusões que normalmente usamos como “desculpas”.

Recomendamos que veja cada uma delas atentamente. É uma boa forma de iniciar este ano em busca de resoluções.

1. A sensação de não ter tempo suficiente para fazer as coisas que deseja fazer

Essa é uma das maiores ilusões e uma das mais comuns, porque nos faz acreditar que, eventualmente, teremos tempo mais tarde na vida. A razão pela qual isso é uma ilusão é porque o tempo é relativo – ter uma hora livre do dia pode parecer pouco para uns, mas para outros pode ser o bastante para fazer muitas coisas.

Portanto, o segredo é simplesmente entender o que é importante para você e o que não é, e colocar prioridades importantes em sua rotina diária em vez de coisas irrelevantes, como assistir televisão ou ficar na internet em redes sociais.

2. Tentar pegar atalhos na vida

Podemos pegar alguns atalhos ao caminhar, mas não podemos fazer o mesmo na caminhada da vida se você pretende ter mais bem-estar e produtividade. Cada objetivo na vida tem vários marcos que o levam a diferentes caminhos, e é preciso passar por cada um deles para que sua vida seja como o planejado.

Tente aproveitar esta jornada ao seu objetivo final e usufrua de todas as suas pequenas realizações ao longo do caminho. Tomar a rota mais longa permitirá que você cresça, melhore e desenvolva o suficiente para atingir seu objetivo da melhor maneira possível.

3. Pensar que você tem controle total sobre a vida

Saber que você não tem controle sobre muitas coisas da vida pode te assustar um pouco. O que você pode de fato controlar são os seus pensamentos, que te farão olhar para as coisas de forma positiva ou negativa. Pense assim: o seu smartphone tem acesso à internet, mas não controla toda a rede e você só pode ver e responder às informações no espaço virtual – da mesma forma, sua existência ocorre principalmente na sua cabeça e tudo que acontece ao seu redor não está sob seu controle.

Você pode controlar o que está procurando no espaço real e como responde ao que vê, mas não o que acontece a qualquer momento.

4. Esperar pela felicidade através de um fator externo

Conforme indicado no tópico anterior, sua existência ocorre principalmente em sua mente, e tudo que muda nos seus sentimentos é devido à sua reação ao que está acontecendo ao seu redor. No entanto, muitas pessoas esperam que algo aconteça no mundo exterior e isso vai afetar seus sentimentos internos para melhor, mas não é assim que a felicidade funciona.

Você pode estar temporariamente feliz e até mesmo extático se você ganhar na loteria, mas se não sabe como administrar seus sentimentos corretamente, a grande soma de dinheiro também pode ser um fardo pesado que será uma fonte de sofrimento – de repente você começa a ter medo de ser roubado ou perder todo o dinheiro.

Então, cada situação pode trazer consigo pensamentos positivos e negativos, e você deve simplesmente decidir o que quer para ser feliz – isso virá com o tempo, desde que você decida que o quer sem criar expectativas externas.

Leia Também: Namore uma mulher que goste de aventuras

5. Tentar controlar outras pessoas

A psique humana muitas vezes tem medo de qualquer tipo de mudança, uma vez que uma rotina regular nos mantém confiantes de que coisas ruins não nos acontecerão, mesmo que a situação não seja positiva – se pudermos gerenciar até agora, nós provavelmente seremos capazes de administrar o futuro.

Então, quando você tenta mudar outras pessoas que se tornaram, inconscientemente, acostumadas a um comportamento ou uma rotina particular, pode esperar alguma resistência de sua parte. Eles podem saber que precisam mudar, mas é mentalmente difícil para eles começar a pensar sobre o processo.

Além disso, a mudança que você tenta aplicar a outra pessoa provavelmente se aplica aos valores delas, mas não necessariamente aos seus valores, então você deve entender que não pode mudar os outros, mas pode mudar a maneira como as vê. Se você entender seus motivos e tiver conversas abertas sobre coisas que te incomodam, pode mudar sua perspectiva, e também verá uma mudança sobre como os outros também te veem, pois tudo veio de si.

6. Esperar por uma fonte de inspiração ou energia

Você pode querer fazer algo, mas está aguardando o momento certo, por exemplo, inspirado a escrever ou fazer exercícios. Ironicamente, a espera de uma fonte externa de inspiração ou motivação cria um círculo vicioso que nunca termina, onde esses elementos externos estão relutantes em chegar, porque eles vêm apenas através de uma ação que começa com você!

O processo de redação em si é o que inspira o escritor, e o exercício é o que proporciona motivação. Se você fez essas coisas no passado, provavelmente já conhece os sentimentos que vêm com eles – passar cinco minutos sentado na frente do computador antes de começar a escrever com fluidez ou praticar exercícios são fatores que te deixam mais alerta e enérgico.

Não espere a chegada de uma fonte externa, porque não virá. Lembre-se que a mudança na forma como você se sente começa dentro de si.

7. Acreditar que o fracasso é um estágio final e indesejável

A falha existe somente quando você não conseguiu alcançar aquilo que desejava, mas sua definição depende apena de como nos relacionamos com isso. A falha não é necessariamente algo ruim. Se você mapeia um labirinto e se vê em muitos becos sem saída, então começa a mapear algo de diferente para sair desta situação, e assim passa a entender o que está causando esses erros.

Portanto, todas as falhas que você vivencia falam sobre um estágio ou algo no caminho que não está certo, então é preciso dar um passo atrás para corrigi-lo. A própria vida é um grande labirinto, e se por um lado as falhas podem prejudicar nosso senso de sucesso, por outro nos ajudam a alcançá-lo enquanto aprendemos com elas.

8. Sentir que você não é bom o suficiente para ter sucesso

De acordo com a psicóloga e escritora Susan Jeffers, a sensação de que não somos bons o suficiente para algo é a base de todos os nossos medos. Tememos a nossa morte porque não sabemos se estaremos satisfeitos com as nossas vidas quando chegar esse momento e também a morte dos nossos entes queridos, por temer que não possamos lidar com esta situação.

Estes são exemplos extremos dos medos fundamentais que existem na vida de cada pessoa, mas isso também acontece com qualquer outro medo, e há um pequeno teste que pode ajudá-lo a saber se você será capaz de lidar com uma situação bem ou não: basta se perguntar se você já está em uma situação em que você acha que não pode lidar – se a resposta for sim, então isso significa que sim, você pode passar por isso.

Você nunca vai precisar carregar mais do que pode, pois já carrega consigo o pesado senso de medo. Tente desistir desse medo. Você pode precisar se apoiar nos outros às vezes, mas seus amigos e familiares fazem parte da caixa de ferramentas que te tornam capaz de lidar com tudo do jeito certo.

Fonte: Tudo por Email

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.