A necessidade de estar sempre no controle e carência de estar sempre certo, muitas vezes só esconde o medo e o ressentimento da possibilidade de não ser aceito. Tem gente que anda envelhecendo um ano por dia, abraçado em ansiedades e bagunças ideológicas, ao querer acompanhar e tentar controlar a vida de outras pessoas.

Tem gente que corre pra lá e pra cá o tempo todo, perdido em lugar nenhum, escondendo o pedacinho de nada que possui e se prendendo ao desejo de desarmonizar a vida alheia. Muitas vezes, se sentem feridos por aquilo que vêem e em suas dores, se voltam contra qualquer um que deles discorde ou desperte inveja, testando suas fraquezas emocionais na paciência do outro. Alguns tolos não enxergam outras verdades que não as suas. Feras feridas.

Tem gente que faz de conta que se preocupa com você. Tem gente que faz de conta que se preocupa em saber o que você está fazendo e por onde você está andando, quando na verdade só estão alimentando a própria e feia curiosidade. Tem gente que acha que merece saber e que tem o direito de cuidar de outra vida. Como se precisasse tirar o brilho “inroubavel” do olhar do outro pra se sentir feliz. Aquilo que corrói por dentro, não dá pra disfarçar por fora. Aquilo de que o coração está cheio, se esvazia pelas palavras. Aquilo que transborda em ti, todo mundo sente. Tem gente que só vê uma verdade: A que só existe em sua mente.

Aprendi a lidar com isso. Já não perco mais o sono e as noites já não são mais tão longas refletindo sobre o assunto. Cada uma na sua. Tenho certeza dos meus sorrisos que distribuirei ao andar na rua. Se eu desejo os arco-íris, preciso suportar tempestades. Se o que eu quero é ser feliz, que eu lute por essa liberdade. Sou livre. Fiz por merecer.

Não é indireta grosseira ou olho atravessado que me empatam mais. Não mais. A gente deve limpar esse peso da alma e aliviar essa carga pesada que entulha o coração. Dá não. Larga pra lá. Queira bem o seu espírito. Queira bem seu bem-estar. Viro fera, sou leão, mas não vou ferir ninguém e nem quero ser ferido por conta do meu pensar. Desespero dos outros é um grito que eu não posso calar. Ainda mais se o outro estiver sempre em desarmonia com a própria vida e desamparado pela própria de fé. Tenho meus dias de silêncio. Tenho meus dias de estourar. Todos têm.

Se a gente só alimenta o medo, é a nossa coragem que dorme faminta. Se a gente só alimenta o silêncio, é nossa voz que se cala. Se não for pra somar, fique aí do lado de fora. Me esquece. Pois só quem é de dentro e vive a própria vida, sabe o que acontece. Não permita que ninguém cuide de sua vida por ti. Você que é o dono. É seu esse trono. Deixe-os rugir. É assim. Muitos querem ser rei. Todos querem voar. Poucos sabem suportar as quedas. Muitos pagam pra ver o mar e só mergulham em águas rasas. É sua vida, sua alma, sua casa. Se a gente fica sempre à espera que os outros mandem, me diga, de que adianta ter asas?

“Eu vim da selva, sou leão, sou demais pro seu quintal”

Cleonio Dourado

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS