5 pensamentos do Papa Emérito sobre os espíritos celestiais: mais de uma vez ele mencionou o arcanjo Rafael

O Papa Emérito Bento XVI já se pronunciou em diversas ocasiões sobre os anjos, conforme foi recopilado pelo pe. Marcello Stanzione e por Cecilia Perotti na “Agenda dos Anjos 2022“, uma tradicional publicação anual italiana. Só durante o seu pontificado, o Papa alemão falou dos anjos em pelo menos cinco ocasiões:

1) Os anjos e a música
Durante discurso após o concerto oferecido pelo Presidente da República Italiana em 24 de abril de 2008, Bento falou da relação entre os espíritos celestiais e o canto:

“Existe uma relação misteriosa e profunda entre música e esperança, entre canto e vida eterna: não é à toa que a tradição cristã retrata os espíritos bem-aventurados no ato de cantar em coro, arrebatados e extasiados pela beleza de Deus. Mas a arte genuína, assim como a oração, não nos afasta da realidade do quotidiano, e sim nos remete a ela para “irrigá-la” e fazê-la germinar, para que dê frutos de bem e de paz”.

2) Anjos voando? Uma questão “gravitacional”
Dirigindo-se ao arcebispo emérito de Bolonha, cardeal Giacomo Biffi, após uma conferência, o Papa Bento comentou informalmente sobre a possibilidade de que os anjos voem:

“Durante a sua primeira palestra, notei nas incrustações do meu genuflexório que o Cristo ressuscitado estava sendo retratado entre anjos que voavam. Pensei que esses anjos poderiam voar porque, afinal, não se encontram sujeitos à gravitação das coisas materiais da terra, mas sim a uma espécie de ‘gravitação’ do amor do Ressuscitado”.

3) Os espíritos celestiais e o povo de Israel
No Ângelus do primeiro domingo da Quaresma de 2009, Bento XVI falou dos anjos como “enviados”:

“Anjo significa enviado. Em todo o Antigo Testamento encontramos essas figuras que ajudam e orientam os homens em nome de Deus. Basta recordar o livro de Tobias, no qual aparece a figura do anjo Rafael que auxilia o protagonista em tantas vicissitudes. A presença reconfortante do anjo do Senhor acompanha o povo de Israel em todos os seus bons e maus momentos”.

4) Jesus é superior aos anjos
Nesse mesmo Ângelus, o Papa Bento destacou a relação entre os anjos e nosso Senhor:

“Os anjos servem a Jesus, que certamente é superior a eles. Esta sua dignidade é proclamada no Evangelho de forma clara, embora discreta. De fato, mesmo na situação de extrema pobreza e humildade, quando é tentado por Satanás, Ele continua sendo o Filho de Deus, o Messias, o Senhor”.

5) São Rafael e a proclamação do Evangelho
Na homilia da Missa de ordenação de seis bispos em 29 de setembro de 2007, na Basílica de São Pedro, Bento XVI, falou do arcanjo São Rafael:

“São Rafael é apresentado a nós, principalmente no livro de Tobias, como o anjo a quem foi confiada a tarefa de curar. Quando Jesus envia os seus discípulos em missão, a tarefa de anunciar o Evangelho é sempre ligada à tarefa de curar. O Bom Samaritano, acolhendo e cuidando do ferido à beira da estrada, se torna, sem palavras, uma testemunha do amor de Deus: aquele ferido, que precisa ser tratado, somos todos nós. Anunciar o Evangelho, em si, já significa curar, porque o homem precisa acima de tudo da verdade e do amor”.

Fonte: Aleteia

RECOMENDAMOS






Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.