Chamada de “Terapia dos Abraços”, a técnica cada vez mais crescente nos EUA, disponibiliza bonecas para pacientes com Alzheimer, estimulando assim os sentimentos de autoestima e alegria deles.

A técnica também ajuda a aliviar o estresse, reduzir a depressão, a ansiedade e a desenvolver inúmeras emoções positivas, como exemplo da época em que eles foram pais e mães.

O mais bonito desse tipo de terapia é que ela realmente funciona. Ao colocar as bonecas sob os cuidados dos idosos, provou-se que não apenas melhora o humor deles, como também proporciona um sentimento de autovalor, diminuindo a tendência de se desligarem do que acontece ao redor e reduzindo a necessidade e quantidade de medicamentos para ansiedade.

A Terapia dos Abraços é utilizada atualmente nas Comunidades de Tratamento do Poet’s Walk Memory Care Communities de oito casas de repouso americanas: nas cidades de Leesburg, Fredericksburg e Warrenton, na Virgínia; nas instalações do Texas em Cedar Park, Round Rock e San Antonio; em Henderson, Nevada; e Sarasota, Flórida.

“Minha mãe ganha vida quando ela abraça essas bonecas”, disse April Hannewald.

A mãe dela é paciente da Comunidade de Cuidados com a Memória em Nevada.

Ela conta que a mãe agora fala pouco, “mas quando estou empurrando-a na cadeira de rodas, ela começa a falar frases inteiras quando passamos pelas bonecas [dizendo coisas como]” Oh, olha! O que os bebês estão fazendo?”, conta.

“Entre as várias formas de terapia recreativa que nossos cuidadores oferecem, descobrimos que a “terapia de abraços” é uma das mais simples e mais terapêuticas. É também uma das mais bem sucedidas, pois dá aos nossos residentes um propósito que eles desejam”, afirmou a diretora executiva da Poent’s Walk Warrenton, Terra Brown.

Para estabelecimentos que tentem implementar um tratamento similar com um paciente, o programa Terapia de Abraço recomenda o uso de bonecas que não emitam nenhum tipo de som, pois elas podem gerar respostas estressantes nos pacientes.

Além disso, as bonecas devem ser tratadas como se fossem bebês de verdade, em vez de brinquedos.

“Quando me sento com a minha mãe e ela fica inquieta e distraída, tudo o que tenho a fazer é dar-lhe uma boneca e colocar um sorriso no rosto. Ela fala com o bebê e beija a testa dele com frequência”, completou April.

Com informações do GNN e People / Fotos Shannon Gray Blair

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.