Tamirys Machado, especialista em finanças, fornece 5 dicas para te ajudar com as finanças

Se você é daquelas pessoas que ao ficar triste vai ao shopping e sempre volta cheia de sacolas, preste atenção nas 5 dicas da especialista em finanças. Tamirys conclui que as “ pequenas comprinhas” geralmente viram uma bola de neve na hora de pagar a fatura do cartão.

“Esses gastos, além de desnecessários, provavelmente vêm da necessidade de se sentir amada, admirada e de se encaixar em um padrão. Normalmente, as pessoas com propensão a gastar mais descontam a falta de autoconfiança e autoconhecimento no dinheiro, pois têm medo de ser julgadas a partir de suas atitudes e falas”.

Foto: Ilustração Pixabay

O que fazer para sair dessa situação?

1. Busque autoconhecimento

“Entenda quais os gatilhos que te fazem perder o controle e gastar demais. Pode ser tristeza, felicidade, ansiedade, etc. Mesmo quem já tem certo controle pode melhorar ainda mais com o autoconhecimento, prestando mais atenção em como você se sente em relação ao dinheiro cada vez que esses sentimentos aparecerem”.
“Conhecer qual é o seu perfil financeiro é um ótimo caminho para acelerar este processo de autoconhecimento, uma vez que ele descreve exatamente como é o seu relacionamento com o dinheiro e quais são os pontos de melhoria que precisam de mais atenção e mudança”

Foto: Ilustração Pixabay

2. Encontre o propósito do seu dinheiro

“Um dos principais responsáveis pelo equilíbrio é o propósito. É ele que nos estimula a mudar hábitos financeiros em prol de uma conquista maior, seja comprar um carro, fazer uma faculdade ou mesmo melhorar o padrão de vida. O fato é que este propósito precisa ser algo muito importante para você e estar alinhado com a suas possibilidades financeiras, caso contrário, a frustração e o descontrole ocorrerão novamente”.

3. Saiba mais sobre a sua história

“Conforme Tamirys Machado, em cerca de 98% dos casos, a forma de lidar com o dinheiro tem ligação direta com a criação da pessoa, já que é comum a reprodução de hábitos dos pais ou o desespero para fazer o contrário do que eles fizeram. Entender qual padrão comportamental você está reproduzindo ou tentando evitar ajuda muito a ter clareza sobre como agir, criando uma relação consciente e saudável com o dinheiro”.

Foto: Ilustração Pixabay

4. Aprenda sobre educação financeira

“Aprender a administrar o próprio dinheiro, desenvolver autocontrole, ter acesso a ferramentas que facilitem a gestão e o controle no dia a dia e aprender a criar estratégias que alavanquem seu patrimônio são alguns dos principais benefícios que a educação financeira traz. Passar por um processo de mentoria e desenvolver autonomia, por exemplo, é de extrema importância para facilitar o acesso e aprendizagem sobre o assunto”.

5. Encontre equilíbrio

“Você não precisa parar de gastar dinheiro, apenas encontrar o equilíbrio entre o consciente, que é a razão, e o que nos faz entender que precisamos pensar antes de tomar qualquer decisão; e o subconsciente, que é a emoção e nos faz tomar decisões sem pensar nas consequências”.

RECOMENDAMOS






Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.