Sim, está doendo porque mais uma vez você não imaginava que ele fosse se partir. Ele já até está acostumado, mas não significa que doa menos por isso, não é verdade?

Mas pense um pouquinho, não precisa falar isso pra ninguém, você no fundo, mas lá no fundo mesmo, sentia que isso iria acontecer.

Volte um pouco no tempo e tente se lembrar de quantas vezes você teve o sentimento de que algo não estava certo, de que você não estava mais no seu lugar, de que não cabia mais a você a situação que estava.

Lá no fundo, você vai se lembrar de quantas vezes o sentimento de que deveria acabar veio à tona.

Mas como um ser teimoso que você é, preferiu o conhecido e continuar na zona de conforto acreditando que as coisas iriam mudar. E então se apegou com todas as suas forças a fios mínimos de esperança em momentos de prazer e carinho, a “sinais” que você procurava a todo custo, em todos os tipos de situações, para fortalecer algo que você próprio não acreditava mais. Tudo isso para não enfrentar a dor da realidade, de que já havia acabado ou estava muito próximo disso.

Então você permaneceu e quem decidiu seguir não foi você. Te faltou coragem de fazer o que tinha que ser feito. Te faltou encarar a realidade que já não era aquela que queria que fosse. Se apegou a uma relação e a uma pessoa que já não eram as mesmas lá de quando tudo começou.

Leia também: “Se você não existisse, que falta faria?” Mario Sergio Cortella

Agora está doendo muito mais do que se você tivesse se munido de toda a coragem e dignidade que precisava. Agora tem a dor da rejeição, antes não teria. Mas veja, não é uma rejeição, no primeiro momento parece ser e dói como, mas não é. O fim não foi para te ter longe, mas para dar um fim a situação que estava desgastante, sofrida para ambos.

Afinal, lembra que você também, lá no fundo, não estava feliz? Como pode um estar e o outro não? Percebe que se ambos estavam infelizes, um tinha que decidir, certo? A diferença é que não foi você, então perceba que não é rejeição porque também não seria da sua parte.

Ainda vai doer, mas se você tirar o foco disso e leva-lo para o que importa agora que é se curar e seguir adiante, os dias vão se tornando mais leve.

Tudo o que resistimos, persiste, então não resista a sua dor e ao término, aceite-os com integralidade, respire fundo e a partir de hoje foque em você e em ficar bem porque a vida é maravilhosa e nunca se encerra um ciclo sem começar um outro novo.

Crédito capa: @annademy

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Roberta Zanatta
Coach e mentora de autoconhecimento, espiritualidade e educação emocional, escritora, colunista e em formação em Psicologia. Tem um canal no youtube focado em desenvolvimento pessoal.

COMENTÁRIOS