Via:Pensar Contemporâneo

Corrija um sábio e o fará mais sábio, corrija um ignorante e o fará teu inimigo.

“Adaptação de um provérbio de Salomão, encontrado na Bíblia, em Provérbios 9:8-9: “Não repreendas o escarnecedor, para que não te odeie; repreende o sábio, e ele te amará. Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina o justo e ele aumentará em entendimento”.

Na realidade, somos todos muito ignorantes, só que não ignoramos as mesmas coisas e não somos capazes de reconhecer a nossa ignorância da mesma maneira. Especificamente, queremos dizer ignorância como um conceito que indica falta de conhecimento ou experiência. E é essa falta de conhecimento ou experiência que torna o ignorante veemente e perspicaz, portanto nosso inimigo, se tivermos experiências ou conhecimentos diferentes dele.

Pessoas sábias, por outro lado, sabem que grande parte de sua virtude está em saber que não sabem, como Sócrates afirmava. Essa consciência de nossa ignorância é o que nos expõe à realidade, o que revela nossa imperfeição em face da perfeição e nos reconcilia com nossa natureza. Pessoas sábias mantêm-se longe da rivalidade, de modo que dificilmente têm inimigos e não são influenciadas pela avareza e confusão de desejos impossíveis.

As pessoas que ignoram seus limites e os limites de seu conhecimento são anuladas por seu próprio ponto de vista, dada a impossibilidade de estabelecer uma comunicação assertiva com eles. Qualquer coisa que não se encaixe em seus padrões ou modelos será uma causa de conflito, um conflito que pode ser resolvido de alguma forma, mas não porque eles serão os únicos a se render.

O sábio está sempre em busca de sabedoria, o tolo acredita que a encontrou.

A ignorância ignorada possui conhecimento

A ignorância é tão descarada que possui conhecimento. O efeito Dunning-Kruger define pessoas que acreditam que sabem tudo. Na psicologia, esse termo refere-se a uma distorção cognitiva na qual pessoas inexperientes tendem a superestimar-se em termos de seu conhecimento, estão confiantes em transformar suas opiniões pessoais em fatos irrefutáveis.

Essa falsa autopercepção foi descoberta em 1999 por Justin Kruger e David Dunning, professores da Cornell University. Os dois pesquisadores analisaram várias situações em que parecia que a ignorância oferecia mais segurança do que conhecimento. Especificamente, eles se concentraram em certas atividades, como dirigir um carro ou jogar xadrez ou tênis.

Ignorância ignorada, por outro lado, é a causa de muitos desentendimentos. Uma pessoa não se torna um inimigo por acaso, por exemplo, ele pode ser uma pessoa amistosa ou neutra que, no entanto, se sente atacada ou desprezada por acreditar que possui conhecimento onipotente.

A consciência da própria ignorância dá curiosidade

Saber também significa estar ciente do que ainda não sabemos e abrir a porta para a motivação. Nesse sentido, a humildade é o companheiro de viagem ideal para a sabedoria. Não devemos ter vergonha de confessar nossa ignorância, isso aumentaria nossas oportunidades de aprender. As crianças sabem disso bem, na verdade elas sempre perguntam: “O que é isso?”, “O que é isso?”, “Para que serve isso?”, “Como funciona?”.

Grande parte da sociedade não sabe como o corpo funciona e ignora os complicados processos químicos e biológicos. No entanto, em uma conversa pública sobre esse assunto, é difícil para alguém professar ser ignorante sobre o assunto, todo mundo sabe de tudo. Aqui se manifesta a “ignorância da ignorância”, o efeito que ocorre quando ninguém quer desempenhar o papel do ignorante, como se fosse a pior coisa do mundo.

A consciência de ser ignorante forja a chave de ouro para o conhecimento e sabedoria. Reconhecer a ignorância nos permite entender que o homem é um ser plástico. Quando alguém nos rotula como ignorantes, portanto, não temos motivos para nos ofender, vice-versa, podemos agradecer-lhe pelo lembrete e convidá-lo para nos ensinar coisas novas ou descobri-las juntas, outro processo fascinante.

Do site La Mente es Meravigliosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.