Quem não gosta muito de altas temperaturas sente um alívio ao perceber que o outono está se aproximando.

Ufa! Aquele friozinho à noite e pela manhã dão uma trégua para a sensação de forno em potência alta.

Mas quem tem um pet precisa ficar atento à virada da estação, que pode fazer seu bichinho de estimação ficar mais suscetível a alguns probleminhas de saúde.

Veja quais são e o que você deve fazer:

Gripe Canina

A gripe canina é uma das principais doenças do outono, a temperatura começa a baixar e o tempo passa a ficar seco.

A gripe canina, que também é chamada de traqueobronquite infecciosa canina, é causada por um vírus e bactérias, sendo que os principais sintomas nos animais de estimação são: tosse, espirros, secreção nasal, febre e a falta de apetite. Pode acometer pets de todas as idades

A transmissão ocorre rapidamente, o contágio pode ser através de espirros dos pets, o melhor é evitar locais com aglomeração de animais.

O Tratamento de ser realizado com antibióticos, antitérmicos próprios para eles, hidratação e xaropes. Outra prevenção é vacinar seu pet anualmente.

Cuidado com carrapatos

É nesta época do ano que o tempo fica mais seco, dando espaço para a chamada “temporada de carrapatos”, período em que surgem frequentes infestações dos parasitas, que podem desencadear diversas doenças no animal.

Antigamente, os carrapatos eram mais facilmente encontrados em animais de ruas ou naqueles que viviam em áreas rurais como sítios e chácaras. Hoje, até os moradores de apartamentos e casas estão vulneráveis às pragas.

É importante que o proprietário identifique logo no início para evitar que o animal evolua alguma doença mais grave. Os carrapatos normalmente grudam na pele dos pets para se alimentarem de seu sangue e se proliferam com rapidez. Eles se instalam em locais mais escondidos como orelhas e entre os dedos, mas podem aparecer em todo o corpo.

Leia mais: Neurocientistas estão pedindo que mulheres de todo o mundo prestem atenção neste conselho

O ideal em primeiro lugar para se evitar o contágio é a higienização do ambiente, o local que o pet dorme é propício para o carrapato. Limpar diariamente essa área evita a aparição e proliferação da praga.

Porém nos primeiros sinais de aparição, um banho carrapaticida pode ser a solução, pois ajuda a tratar as feridas e deve ser feito em um petshop por um profissional especializado. Vale ressaltar que apenas o banho não é suficiente para eliminar a enfermidade.

Manter a tosa em dias, o animal tosado facilita o tratamento. Anticarrapaticidas: hoje no mercado existem diversos produtos, de diferentes marcas, que são eficientes no controle das infestações.

Rinotraqueíte Felina

Nos gatos temos a rinotraqueíte felina, também causada por um vírus. Os sintomas são secreção nasal e oculares, febre, espirros, perda de apetite, e é uma doença considerada altamente contagiosa.

“Aos primeiros sinais, tratamos os gatos com hidratação e, em casos mais graves, com os antibióticos que podem ser somados aos anti-inflamatório para redução da febre”, comenta Andressa.

Para prevenção, o mais indicado é vacinação com 45 e 60 dias de idade, já que a rinotraqueíte acomete principalmente filhotes.

Cuidados em geral: 

– Diminuir frequência de banhos;

– Abrigá-los em local próprio;

– Evitar levar os pets em hotel e em locais com aglomeração de animais;

– Evitar passeios em dias e noites com chuva;

– Muita hidratação;

– Higienização adequada;

– Proteção contra frio;

– Forrar ambientes com jornal ou cobertor para animais que dormem fora;

– Alimentação de boa qualidade.

Informações: Meu Pet

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS