Por: JCS

“Tomei as medidas cabíveis para conseguir ajuda. Tudo é muito difícil, dá medo, vergonha, mas temos que lutar por respeito e justiça.” Contou Dani Calabresa após publicação de reportagem que revela os tristes casos de assédio sofridos por ela.

Nesta sexta-feira (04), a conhecida atriz Dani Calabresa foi ao seu perfil do Instagram para comentar sobre o assunto que está nas manchetes, o assédio sexual sofrido por ela nos bastidores do “zorra”, da Rede Globo, que teve como autor o diretor do quadro humorístico, Marcius Melhem. O assunto tomou grandes proporções depois que a revista Piauí detalhou os tristes momentos de assédio e a luta de Dani e de outras colegas para terem suas denúncias ouvidas pela emissora, e que as devidas providências fossem tomadas, “esperando que os culpados sejam punidos”.

“Nunca quis ser vista como uma mulher assediada, mas para recuperar minha saúde precisei me defender”, disse a atriz.

Conforme revelações da reportagem, Dani preferiu denunciar primeiramente aos órgãos internos da Rede Globo. Ela disse ter se sentido com medo e vergonha, e incentivou que outras vítimas “e são muitas” façam o mesmo que ela fez.

“Tomei as medidas cabíveis para conseguir ajuda. Tudo é muito difícil, dá medo, vergonha, mas temos que lutar por respeito e justiça. Não passarão. Assédio é crime! ”, disse.

Dani foi apoiada pela atriz e colega de trabalho Maria Clara Gueiros, que sempre esteve presente e ao lado dela durante todo o processo de denúncias e da luta para que a justiça fosse feita.

“Preciso declarar aqui todo meu amor e gratidão a Maria Clara Gueiros, minha amiga do meio artístico que me apoiou desde o início! Que mulher maravilhosa! Amorosa! Justa! (E hilária!), postou.

Toda minha solidariedade às mulheres que passam por isso e têm medo de denunciar E? Impressionante a luta que uma mulher precisa travar para provar que é vítima. Denunciem! ” Concluiu Dani.

Com informações: UOL TV Famosos

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.