Por: Redação da Revista Bem Mais Mulher

Chamado de o grande mestre do impressionismo, Claude Monet, que na época já era consagrado como expoente da arte, construiu seu ateliê e Giverny, onde mandou cavar um lago, que plantou inúmeras variedades de ninfeias.

Para quem não conhece, ninfeias são plantas aquáticas, lindas e de uma coloração variável. Sobre o lago também ele construiu a famosa ponte japonesa. O jardim de Giverny inspirou Monet a pintar telas enormes e foi onde ele dedicou os últimos 30 anos da sua vida.

A rara filmagem foi realizada no verão de 1915, quando o pintor já tinha 74 anos de idade. O responsável pelas filmagens o cineasta Sacha Guitry conversa com o artista, todo vestido de branco. A seguir é possível ver uma imagem panorâmica do jardim com a ponte japonesa, o salgueiro-chorão e o espelho d’água com as ninfeias.

É possível ver Monet pintando uma de suas telas segurando sua paleta de cores e alguns pincéis, pintando uma grande tela ao lado da lagoa de ninfeias.

Já no final da sua vida, Monet respondeu uma carta sobre o movimento impressionista a Evan Chateris (1926), onde fez uma afirmação de forma modesta: “meu único mérito foi o de ter pintado diretamente da natureza com o objetivo de exprimir minhas impressões diante dos efeitos mais fugidios”.

Aprecie aqui Claude Monet em filme raro, pintando em seu famoso jardim em Giverny.

Cenas da sua propriedade

Monet viveu até o final da sua vida em Giverny, muitas telas do pintor retratam cenas da sua propriedade, com muitas plantas, flores, lago, jardins e a charmosa ponte em estilo japonês, sem falar nas Ninfeias, que foram inspiração para muitas de suas obras (que estão no Musée L’Orangerie em Paris).

Hoje, a propriedade abriga a Fundação Monet e a casa onde o artista morou, atualmente é um museu dedicado a ele.

 

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.