Não há limites para quem sonha, ela estudou em uma escola pública e, após muita dedicação e disciplina, foi a 1ª colocada no concurso da PM onde haviam 30.000 candidatos inscritos.

O sonho desta jovem ardia em seu coração, assim, ela reuniu força de vontade, organização, disciplina e muito comprometimento para estudar, como resultado, Graziely Juane de Souza dos Santos, aos 21 anos de idade, realizou seu sonho e passou no concurso da PM, alcançando a primeiríssima colocação.

Foto: Arquivo Pessoal

As bases de sua educação vieram da Escola Pública, onde também estudou com dedicação e obteve excelentes notas. Hoje, a jovem de 21 anos de idade é uma verdadeira inspiração para outras pessoas que sonham em prestar concurso para funcionário público.

Grazi vem de um lar carregado de bons exemplos de disciplina e dedicação, sua mãe é professora e seu pai é um tenente da PM, dessa forma, sempre deu grande importância ao estudo e o conhecimento, vendo na escola uma grande importância e prioridade em sua vida.

Foto: Arquivo Pessoal

Diante de sua dedicação, já cursava o 7º semestre da faculdade de Direito na Universidade Federal do Amapá, esta vaga ela conseguiu graças à excelente nota que obteve no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Como resultado de tanto empenho está fazendo um estágio na Justiça Federal e, conseguiu a vaga através de processo seletivo muitíssimo concorrido.

Como ela estudou?

Grazi revelou que o que mais norteou seus estudos foram as várias pesquisas na internet, aliado aos livros próprios que também a auxiliavam. Não fez nenhum curso em plataformas de concursos, toda brecha de tempo que encontrava entre seus compromissos diários ela aproveitava para estudar.

Parte da motivação para estudar, ela disse que, veio através de seu pai, William Souza, de 42 anos, que já trabalhou no Bope, Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Força Tática. Atualmente ele está em um processo de reforma, devido a sofre um acidente de trabalho.

“Além de me inspirar, meu pai me ajudou. Queria dar esse orgulho para ele e fazer parte dessa honrosa instituição. Todos que passamos na 1ª fase certamente têm seus méritos, claro, que ainda temos fases a seguir, mas não foi fácil para ninguém chegar até aqui, então, já somos vitoriosos. Espero que nossas histórias inspirem outras pessoas”, afirmou Graziely.

Foto: Arquivo Pessoal

O paizão William confessou que, desde pequenina, a filha demonstrava muito interesse por estudar, ao invés de pedir roupas ou brinquedos, ela pedia livros de presente.

Aquilo tocou meu coração. Para mim, é gratificante ver que ela me vê como exemplo e está seguindo o futuro de forma digna”, afirmou William.

O incentivo familiar

A mãe, Vanessa Ataide, 40 anos, disse que novos conhecimentos e educação sempre foram prioridade na família e incentivava a filha para estudar.

“Sempre incentivei ela a se dedicar aos estudos. Tenho muito orgulho da minha filha ter conquistado a 1ª colocação, ter vindo de escolas públicas e seguir focada. Nossa família já passou por inúmeras dificuldades, mas o ensino sempre foi prioridade. E agora somos felizes por ela”, destacou a mãe.

Por fim, Graziely diz:

“Aos que não passaram, que não desistam. Vale a pena estudar e se dedicar, principalmente em nossa sociedade onde a educação é desvalorizada, não pelos professores que fazem de tudo por um ensino de qualidade, mas pelos governantes de forma estrutural. Que as pessoas vejam a educação como meio de almejar o sucesso e ajudar a família e, acima de tudo, acreditem em si e corram atrás dos seus sonhos”, finalizou.

RECOMENDAMOS






Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.