Por: Elissa Sanci

A princípio será um pouco estranho. Você vai me chamar para um encontro, e eu nervosamente irei arrumar meu cabelo e maquiagem, me perguntando se você prefere meu cabelo enrolado ou liso. Eu nunca tive que perguntar para ele.

Durante o jantar eu brincarei nervosa com minha comida, me perguntando se você me acha atraente, se você está me julgando por pedir uma salada, se você está pensando que meu peso me faz não desejável. Eu sempre pedi um sanduiche quando estava com o outro cara –  e quase sempre terminava o que ele tinha deixado. Eu sabia que ele amava meu corpo, mas com você eu não tenho certeza.

Quando a conta vier, nós brigaremos para ver quem pagará, mas no final você vai acabar pagando, e eu deixarei. Eu me pergunto se você se ofenderia se, por um acaso, eu tentasse pagar para você- eu ouvi isso fere o ego de alguns caras, e me pergunto se você seria um deles.

Nós continuaríamos a nos ver, e você sempre me faria rir. Você prestaria atenção em mim, e me mandaria uma mensagem de texto de “bom-dia” a cada dia. Você me dará frio na barriga e você me deixará desperta à noite, um grande sorriso estampado no meu rosto tentando aceitar que isto está acontecendo de novo, que estou me encontrando novamente com aquele sentimento que tinha pensado ter perdido para sempre.

Você me perguntará se quero ser sua namorada, e eu direi SIM. Nós mudaremos nosso status de relacionamento no Facebook e eu sorrirei a cada nova mensagem sua. Você vai continuar me surpreendendo com interessantes ideias de encontros, e passaremos noites enrolados na sua cama assistindo Netflix e conversando sobre nossas infâncias. E eu te direi sobre os meus piores medos, e eu me pergunto como você vai lidar com eles.

Você me levará para ver minha banda favorita, e eu me perguntarei se você entende o porquê de eu precisar chegar lá 2 horas antes dos portões se abrirem, e eu me pergunto se você pensará que sou boba por precisar fica na frente ou no meio do palco da apresentação. Eu nunca tinha me perguntado antes, porque ele sabia. Ele apenas sabia.

Nós dormiremos juntos pela primeira vez e eu estarei nervosa. Você fara de tudo ao seu alcance para ter certeza que não ficarei, mas eu estarei nervosa- isto é inevitável. Isto será estranho – não desagradável, mas diferente. Será diferente te amar, porque você não é aquele cara, e ele era tudo o que eu sabia. Você me ensinará a amar te amar.

Você se tornará meu melhor amigo, e eu me tornarei a sua. Eu te direi tudo, e devagar, as coisa me lembrarão de você, e não do outro cara. Eu terei a urgência constante de deixar você saber o que passa na minha cabeça, e você amará isto. Você fará o mesmo. Brevemente teremos nosso restaurante favorito, filmes favoritos, músicas favoritas. Nós teremos rotinas, e você se tornará familiar para mim. Você se tornará meu lar, do mesmo jeito que o outro cara era.

Devagar, você se tornará a minha pessoa, e eu te amarei incondicionalmente, e eu olharei para trás para trás com o jeito que me sinto agora e perceberei o quão boba fui por ter me preocupado em nunca encontrar o amor de novo. Você me fará perceber que um coração partido não se mantém partido para sempre. Você será a cola que juntará os pedaços de volta e eu serei agradecida por ter te encontrado.

  • Siga a Revista Bem Mais Mulher no Instagram aqui
  • Curta a Revista Bem Mais Mulher no Facebook aqui.

    Texto originalmente publicado no Thought Catalog, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Bem Mais Mulher

  • COMPARTILHAR

    RECOMENDAMOS



    COMENTÁRIOS




    Bem Mais Mulher
    Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.