Um caso muito estranho e curioso tem tomado espaço nas redes sociais, levando muitas pessoas a se questionarem sobre o que de fato aconteceu. Uma mulher que trabalhava como secretária médica, simplesmente foi “esquecida” por sua rede de conhecidos e amigos. Só que ela, mesmo trabalhando, morreu no sofá de sua casa há pelo menos 3 anos e ninguém deu conta de que ela havia desaparecido e morrido!

Contudo, os restos mortais da Sra. Sheila Seleoane foram localizados pela polícia que precisou arrombar sua residência em Peckham, Londres, em fevereiro de 2022, assim, tal notícia chegou recentemente ao conhecimento do público.

Mas a vizinhança passou meses pedindo verificação do apartamento aos órgãos públicos devido ao mau cheiro que procedia da residência dela. Eram moscas e vermes que saiam dali. Não se sabe a razão, mas os policiais nunca foram vistoriar o local.

Foto: Reprodução

Até que um dia, a tempestade Eunice, que abateu o Reino Unido, em fevereiro, praticamente levou os policiais até o local. Fortes ventanias abriram a porta da varanda da Dona Sheila, de maneira que o vento espalhou o cheiro do cadáver, forçando as pessoas a pedirem uma vistoria no local.

Assim, a polícia precisou arrombar a porta do imóvel e encontraram no sofá os restos mortais daquela senhora. Os especialistas que fizeram a vistoria estimaram que a morte aconteceu aproximadamente em agosto de 2019, ou seja: Há quase 3 anos, faleceu e ninguém a procurou ou deu conta de sua falta.

Por causa disto, os donos do apartamento, que era gerenciado por uma empresa imobiliária, foram duramente criticados, pois ao perceberem que o aluguel não foi pago, solicitaram que os pagamentos fossem feitos por um fundo de crédito, o que de fato foi feito de forma automática. Contudo, ninguém foi examinar o que tinha acontecido com a inquilina.

“Ninguém veio procura-la. É tão difícil entender por que nenhum de seus amigos, colegas ou seu chefe sentiu falta dela”, afirmou um dos vizinhos que estava perplexo com o fato, conforme entrevista cedida ao jornal britânico The Guardian.

Em resumo, partes do inquérito que foram divulgados na semana passada, relatou que a Dona Sheila efetuou o pagamento do aluguel, pela última vez, em agosto de 2019. O que leva a deduzir que ela faleceu naquele mês e ninguém a procurou, inclusive as pessoas do setor onde ela trabalhava.

Com informações: Jornalciencia.

RECOMENDAMOS






Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.