Conheça seus limites e os limites dos outros. Nada pior do que gente fingida.

Não há dúvidas de que o mundo seria muito melhor se as pessoas assumissem as consequências de seus atos. Tem muita gente que não sustenta o que diz, que não se importa com os sentimentos alheios, agindo como se suas ações não alcançassem ninguém, tão somente visando aos próprios objetivos. Não tem como conviver em sociedade somente sob a perspectiva do próprio umbigo.

Uma das mais doloridas verdades da vida é a certeza de que tudo tem volta, tudo tem um retorno. Não dá para viver lançando flechadas sem machucar ninguém. Não dá para plantar vento sem colher tempestade. Ninguém foge à colheita do que se fez, do que se disse, do que se espalhou por aí. As pessoas até podem ser inconsequentes, mas terão que enfrentar as consequências, sim.

Temos que entender que a honestidade nos protege. A verdade sempre será o melhor caminho, por mais que doa, por mais que machuque. Quem finge acaba perdendo a credibilidade como pessoa, tornando-se alguém em quem ninguém confia, em quem ninguém acredita. A mentira vicia e a pessoa, uma ou outra hora, vai se perder no próprio papel, vai ser desmascarada, desacreditada, vai ficar sem ninguém. E aí será tarde demais.

Muitas pessoas agem levianamente, mentindo, disseminando discórdia, destilando veneno, criando tempestades, sem se molhar, mas deixando os outros sob raios e trovões. É urgente a necessidade de pensar antes de falar, de agir, de se relacionar. É necessário tomar para si a responsabilidade emocional sobre as vidas que fazem parte de suas vidas. Ninguém é uma ilha. Ninguém é capaz de fazer o que bem quiser, sem pensar em ninguém.

Você não precisa acertar sempre, mas tem que assumir quando erra. Você não precisa estar sempre bem, mas tem que tentar ser feliz. Você não precisa gostar de todo mundo, mas tem que ser transparente. Conheça seus limites e os limites dos outros. Nada pior do que gente fingida.

RECOMENDAMOS






"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar".