Em comum em todos os filmes dessa lista está o amor maduro, de mulheres casadas ou separadas, despido dos delírios românticos da juventude, mas tão belo e tocante quanto.

Esse é um amor que acontece na vida enquanto andamos por ela, muitas vezes ligeiramente distraídos. Como cada um de nós lida com ele? Isso depende de tudo que somos. O amor não escolhe seu paradeiro, ele só escolhe ser.

Todos os filmes listados aqui retratam um amor que acontece em uma fase na qual a adolescência foi deixada para trás há tempos.

Tomei o cuidado de escolher filmes cujas personagens femininas são preponderantes, sendo todas elas casadas ou separadas. Em grande parte dos casos o enredo gira, principalmente, em torno delas.

Espero que gostem!

1. Entre Dois Amores
De: Sydney Pollack, EUA, 1985

Entre Dois Amores é um daqueles filmes que marcam época e emocionam. Com uma interpretação maravilhosa de Meryl Streep e de Robert Redford e com uma fotografia e enredo primorosos, é um achado na Netflix. Baseado na história real da escritora dinamarquesa Karen Christenze Dinesen (1885-1962), que mais tarde passaria a ter o nome de baronesa Karen von Blixen-Finecke, o filme se passa no começo do século vinte e retrata uma mulher muito à frente de seu tempo que por causa de um casamento por conveniência parte para a África e encontra lá o seu verdadeiro amor. Preparem os lencinhos, pois esse filme emociona.

2. As Pontes de Madison
De: Clint Eastwood, EUA, 1995

O filme adaptado da obra homônima de Robert James Waller se passa em 1965 e relata a história de Francesca (Meryl Streep), uma solitária dona de casa italiana residente em Iowa, que enquanto o marido e filhos se encontram fora, conhece e se apaixona pelo fotógrafo Robert Kincaid (Clint Eastwood), que chegou ao condado de Madison para fotografar as pontes do local. O filme é inesquecível e está disponível na internet mediante pagamento, mas vale a pena perguntar a um amigo cinéfilo se pode emprestá-lo. Impossível não se emocionar com um dos mais românticos filmes da década de 90.

3. O Encantador de Cavalos
De: Robert Redford, EUA, 1998

O Encantador de Cavalos é um filme inspirado em um livro de Nicholas Evans. O roteiro gira em torno da história de recuperação de uma adolescente interpretada por Scarlett Johansson que junto da mãe (Kristin Scott Thomas) parte com um cavalo, em busca de um treinador talentoso e recluso (Robert Redford) que ensinará a elas muito sobre a vida e o amor ao mesmo tempo em que recupera o animal. Um amor maduro dedilha o coração do treinador e da mãe da adolescente. Imperdível para quem ama filmes cheios de muito romance e de lições de vida.

4. Sylvia – Paixão Além das Palavras
De: Christine Jeffs, Reino Unido, 2003

Esse filme é uma biografia da poetisa, romancista e contista norte-americana Sylvia Plath. O amor maduro aqui não é um amor sensato, bem longe disso, ele nesse caso diz respeito à fase vivida por Sylvia – então casada e com filhos. Interpretada com maestria por Gwyneth Paltrow, a personagem mostra uma Sylvia sensível e loucamente apaixonada por Ted Hughes, poeta de quem é esposa. O filme é memorável e mostra um belo panorama da vida conjugal de Sylvia e de como o ciúme, a infidelidade e inúmeras incertezas minaram as expectativas dela com relação à vida.

5. Sob o Sol da Toscana
De: Audrey Wells, EUA – Itália, 2004

Leia Também: Casal que viveu história do livro ‘A Culpa é das Estrelas’ morre nos EUA

Frances Mayes, interpretada por Diane Lane, é uma escritora que vive em São Francisco até se divorciar. Ela recebe como presente de amigas um pacote turístico para a Itália. Durante a excursão, Frances passa pela Toscana e num momento mágico resolve comprar uma casa com mais de 300 anos. Enquanto ela cuida de sua nova casa acaba conhecendo muitas pessoas e se apaixona. Uma ótima pedida para quem gosta de filmes com personagens maduras e fortes que conseguem dar a volta por cima.

6. Apenas uma Vez
De: John Carney, Irlanda, 2006

Esse filme é encantador. Uma mulher casada que vende rosas nas ruas se encontra com um músico compositor e a magia simplesmente acontece. A admiração mútua entre ambos faz florir um repertório musical único cheio de muita parceria. É o amor que brota em meio às intempéries, justamente quando não pode ser. Nesse caso a personagem feminina tem tanto peso quanto a masculina e a beleza do enredo está, para mim, no fato de que a vida é retratada justamente como ela é. Além do enredo, a trilha sonora é inesquecível.

7. Meus Dias no Cairo
De: Ruba Nadda, Canadá-Irlanda, 2009

Esse filme é uma pérola de uma delicadeza sem fim. Fala sim do choque cultural entre ocidente e oriente, mas tem como foco principal um amor maduro, que nasce do desejo e da admiração. Que brota entre as restrições. Um filme extremamente íntimo e pessoal. Juliette (Patricia Clarkson) trabalha como editora de uma revista no Canadá.

Ela e seu marido (Tom McCamus), um funcionário da ONU, resolvem se encontrar no Cairo durante as férias, contudo, tendo tido um contratempo, o marido pede para Tareq (Alexander Siddig), um amigo seu, que faça companhia para sua esposa.

8. Comer, Rezar, Amar
De: Ryan Murphy, EUA, 2010

Impossível falar de mulheres fortes e maduras, sem se lembrar desse filme. Julia Roberts está espetacular interpretando a escritora norte-americana Elisabeth Gilbert que resolve se divorciar e largar tudo, seguindo para a Itália, Índia e Bali.

Em sua última parada conhece um brasileiro que faz seu coração bater mais forte. O filme é uma biografia encantadora da escritora e tem motivado mulheres do mundo todo.

Fonte: Obvious Mag
Autor:Vanelli Doratioto

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.