Entre os dias 10 e 16 de julho de 2022, os termômetros da Espanha e Portugal registraram temperaturas acima de 40 graus centígrados, este fenômeno está se espalhando pela Europa, elevando os números de queimadas na região.

O calor tem aumentado tanto que na Espanha, as autoridades estimam cerca de 510 vítimas entre 10 e 15 de julho, até aproximadamente as 12 h da 2ª feira, 18 de julho, conforme registros do sistema MoMo do Instituto de Saúde Carlos 3º.

Instituto de Saúde Carlos III (ISCIII)

Estes dados do sistema Momo não refletem as mortes reais, e sim uma estimativa, levando-se em conta os dados históricos de mortalidade no país.

Imagem Ilustrativa: Pixabay

“O Sistema MoMo#SCIII faz estimativas estatísticas do excesso de mortalidade para um determinado dia comparando séries históricas. Calcular e inferir valores relacionados a todas as causas e atribuíveis à temperatura, não números exatos de mortes”, afirma o texto.

O calor é tanto que, a Espanha chegou a registrar fortes temperaturas de até 46 Graus C, assim, cerca de 3.000 pessoas tiveram que ser retiradas de suas casas devido as queimadas perto da cidade de Mijas.

Em Portugal, no período de 7 a 13 de julho de 2022, constatou-se um aumento excessivo de mortes, chegando a 238 óbitos. Conforme o painel de Vigilância de mortalidade do Direção-Geral de Saúde, até perto das 12h de 18 de julho, 2022, o pais registrou 523 mortes nos últimos 7 dias.

Se não bastasse os óbitos da Covid-19, as queimadas também provocaram inúmeras mortes. Preocupadas com os números assustadores de óbitos, as autoridades de Portugal decretaram estado de contingência para tentar combater de forma eficaz as fortes queimadas no território. O país decretou situação de alerta até o dias19 de julho, terça feira, por causa do grande risco de incêndios nas propriedades rurais.

Com informações:  Poder 360

RECOMENDAMOS






Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.