Por: Mais Minas

Você sabe o que é o Outubro Rosa? Realizada anualmente em outubro no mundo todo, a campanha busca alertar a população sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama, além de divulgar dados preventivos e ressaltar a importância de se cuidar.

Durante o mês de outubro, inúmeras instituições dão visibilidade ao tema, encorajando milhares de mulheres a realizarem exames, buscando a prevenção e o cuidado com a saúde. Uma campanha que tem se fortalecido nas redes sociais é a do Instituto Nacional do Câncer (INCA) em parceria ao Ministério da Saúde que reforça três estágios estratégicos no controle da doença: prevenção primária, detecção precoce e mamografia.

Segundo o INCA, o câncer de mama é um dos tipos mais comuns de câncer e pode ser considerado como o segundo tipo da doença que mais acomete brasileiras, sendo 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Foram estimados, só no ano de 2019 cerca de 60.000 novos casos de câncer de mama, sendo 56 casos a cada 100 mil mulheres.

É importante ressaltar que homens e mulheres podem ter câncer de mama. Entretanto, são casos raros, em que cerca de apenas 1% é homem.

O movimento “outubro rosa”

Quando pensamos na mobilização e no incentivo que a campanha tem hoje, buscamos reconhecer qual sua origem. Inicialmente intitulado como “corrida pela cura”, o movimento teve inicio em 1990, em Nova Iorque. O intuito era arrecadar fundos para uma pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation (hoje a maior e mais bem financiada organização de câncer de mama dos Estados Unidos).

O evento que acontecida de forma independente, foi crescendo até que o mês de outubro se tornou reconhecido como o mês de conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo.

Apesar da longa data de início nos Estados Unidos, o movimento só tomou proporção no Brasil no ano de 2002, no parque Ibirapuera, em São Paulo. A primeira movimentação sobre o outubro rosa teve uma iluminação cor-de-rosa sobre o Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista do parque.

Assim, a partir do ano de 2008 outros movimentos de prevenção e alerta se tornaram cada vez mais frequentes. A ideia de relembrar a importância da prevenção alcançou desde então diversas unidades, pessoas, prédios e instituições.

O INCA e o Ministério da Saúde na campanha Outubro Rosa 2019

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) em parceria ao Ministério da Saúde vem ganhando visualização nas redes sociais com sua campanha pelo Outubro Rosa de 2019. Buscando reforçar a prevenção, a detecção e a mamografia, a ação não se instaurou apenas no mês de outubro, como na maioria das instituições, mas sim, durante todo o ano.

Com cartazes, banners e cards circulando nas redes sociais, a campanha divulgada durante todo o ano vem com o intuito de lembrar que as mamas devem ser uma preocupação permanente na população, e não só em um mês de enfoque. Assim, segundo o INCA, a campanha de 2019 traz uma reflexão de que “cada corpo tem uma história. O cuidado com as mamas faz parte dela”.

Conheça mais sobre a campanha:

Cartilha: Câncer de mama: vamos falar sobre isso?

A primeira edição da cartilha, lançada em 2014 trazia o slogan “Câncer de mama: é preciso falar sobre isso”. Já para o ano de 2019, o foco da mesma é a prevenção primária, ou seja, ações que busquem prevenir e reduzir os fatores e os riscos. Assim, o objetivo da cartilha, em sua 5ª edição, é fortalecer as recomendações de diagnóstico precoce do câncer de mama através de um conteúdo que questiona o que é o câncer de mama, o que causa, quais os fatores de risco e também quais as formas de evitar.

Acesse a cartilha na íntegra clicando aqui.

Card para mídias sociais Outubro Rosa 2019: alterações suspeitas

Produzida para a divulgação nas redes sociais, o Card busca também incentivar a busca por cuidados com o próprio corpo. O material encoraja as mulheres a estarem atentas aos sinais e aos sintomas do câncer. Assim como outra campanha que está circulando nas redes sociais com o slogan “Mulher: se toque”, o INCA, em parceria ao Ministério de Saúde incentiva as mulheres se tocarem em busca de sinais e também estimula a busca por um serviço de saúde adequado aos sintomas.

Cartazes: o cuidado com o nosso corpo

Esses cartazes, divulgados dentro e fora das redes sociais trazem um apelo muito mais próximo as mulheres, de forma mais íntima e sensível. Assim como outros cartazes da campanha como “Cada corpo tem uma história. O cuidado com as mamas faz parte dela” ou “Um mês para lembrar que o cuidado com as mamas é o ano inteiro”, o objetivo é sempre lembrar e influenciar o cuidado pessoal e o amor próprio.

Assim, esses cartazes vão além do que é a doença de forma “crua e nua” e também quebra com a ideia constante de hospital, exames e médicos. Os cartazes mostram a necessidade em cuidar do próprio corpo e reconhecer possíveis doenças através do toque em si mesma.

Infográfico câncer de mama: como se proteger

Além dos cartazes e da cartilha, ambas as instituições trazem também um infográfico que aborda hábitos saudáveis relacionados à nutrição, à alimentação e à atividade física como fatores de proteção contra o câncer de mama.

Dialogando com parte do conteúdo da cartilha, o infográfico busca trazer a conscientização sobre a importância de cuidar do próprio corpo.

Saiba mais sobre o câncer de mama

Causada por uma multiplicação de células desordenada na mama, o câncer de mama é resultado das multiplicações anormais das células que formam um tumor maligno. Alguns tipos da doença se desenvolvem rápido, enquanto outros crescem de forma mais devagar.

Os principais sintomas que cercam a doença são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos

Apesar de não ter uma única causa para o desenvolvimento do câncer, algumas questões estão relacionadas, como: o envelhecimento, a idade da primeira menstruação, o fato de ter tido filho ou não, histórico de câncer na família, excesso de peso e exposição à radiação. Dessa forma, uma alimentação saudável, uma manutenção do peso corporal e os cuidados com seu próprio corpo podem evitar a doença.

Além de sempre estarem atentas ao próprio corpo, é recomendado que mulheres entre 50 a 69 anos façam mamografia a cada dois anos, sendo possível identificar o câncer antes mesmo dos sintomas.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.