Goiano usa câmera de videogame e impressora 3D para desenvolver os produtos. Modelo foi apresentado durante a Tecnoshow 2019

O médico veterinário Murilo da Silva Freitas desenvolveu cascos feitos com a ajuda da câmera de videogame e uma impressora 3D. De acordo com ele, o projeto apresentado na durante a Tecnoshow 2019 salva a vida de animais que seriam sacrificados por ter problemas nos cascos.

Durante palestra na segunda-feira (8), o veterinário explicou que esse era o caso de uma vaca usada como teste para o projeto. Batizada de Manhozinha, ela teve um excesso de produção de casco, segundo o especialista, provavelmente por causa de excessos de proteína na alimentação. Assim, houve acúmulo de matéria orgânica, o que levou a infecções e proliferação de bactérias.

“Ela sentia muita dor, não conseguia apoiar a pata. Em cinco dias usando a prótese já está apresentando uma melhora na postura. Ainda manca um pouco, mas já consegue se apoiar melhor”, observou.

O veterinário também esclareceu que a prótese pode ser usada na aplicação de medicamentos. Alguns podem ser colocados dentro da estrutura e causam um resultado melhor no tratamento.

Câmera de videogame

Para criar a prótese, o veterinário faz o scanner de 360º da pata do animal usando a câmera especial de um videogame – o Kinect do XBox. Com essas informações ele pôde criar, por meio de um programa de computador, o desenho do casco do animal.

Murilo explicou que a prótese é personalizada para cada animal. O preço de custo é de R$ 385, o que ele considera acessível para o produtor que acaba não perdendo o animal.

Fonte:Rio Verde Agora

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.