Quando souberam que a família iria crescer, os pais de Patrick ficaram felizes, seu pai não via a hora de poder brincar com seu filho no quintal, pescar e embarcar em muitas aventuras de pai e filho.

Mas logo que Patrick nasceu todos os planos foram rapidamente frustados. O pequeno bebê havia nascido sem os olhos e com problema nas pernas.

Eventualmente ele foi equipado com próteses artificiais nos olhos e usou uma cadeira de rodas. A família tentou dar todas as condições para que Patrick pudesse crescer com uma vida dentro da normalidade.

Mas tudo mudou na vida do pequeno Patrick, quando ele sentou pela primeira vez na frente de um piano. A Mãe apertava uma tecla, e em apenas uma ou duas tentativas, Patrick encontrava a mesma tecla.

Leia mais: Nutricionistas de Ribeirão usam imagens para mostrar que o importante não é comer menos e sim comer melhor

Não demorou muito para que Patrick conseguisse reproduzir as músicas escutara apenas uma vez. “eu estava em êxtase. Não iríamos jogar beisebol, mas vamos tocar juntos”, declarou o pai emocionado.

Patrick tocou na escola e em várias apresentações públicas, mas quando um professor do programa de música da Universidade de Louisville, onde ele se matriculou para a faculdade, sugeriu que ele se juntasse à banda, todos riram.

Apesar de suas deficiências, ele não deixou que se tornassem um obstáculo.Contra o improvável, Patrick e seu pai lutaram firmes e fortes, até que o rapaz conseguisse entrar para a banda.

Os sacrifícios que o pai de Patrick fez para ajudar seu filho a viver a vida ao máximo são surpreendentes. Espero que Patrick continue a inspirar os outros.

A visão de Patrick sobre a vida é bela: “Deus me deixou cego e incapaz de andar. Mas, ele me deu os dons musicais que tenho e a grande oportunidade de conhecer novas pessoas.”

Veja a história de Patrick no vídeo abaixo:

Texto originalmente publicado no Share Tap, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Bem Mais Mulher

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS