O professor Thiago dos Santos Conceição, de 31 anos, leciona em uma escola em Rio das Ostras, no último dia 18 deste mês, foi humilhado e ameaçado gravemente em sala de aula, a ação foi toda gravada por alunos que por sinal, não temiam nenhuma consequência.

A questão foi que o vídeo foi postado e viralizou na internet, expondo a revolta das pessoas com a ação realizada pelos alunos.

Infelizmente é uma realidade muito triste, pois mostra a verdadeira face da educação no Brasil, e o total desrespeito com os professores, tanto pelo estado quanto pelos próprios alunos.

Como mencionamos acima, o professor Thiago pediu afastamento e que “deseja continuar com a profissão, mas teme pela sua vida”.

Confira:

“Eu desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida. Eram constantes as agressões, mas a gente sempre acha que vai resolver com diálogo […] Todas as minhas aulas eu falo sobre a importância do diálogo, sobre a importância da educação […] Eu tenho medo, porque eu já sofri muitos ataques coisas do tipo “Se eu não tinha medo de amanhecer morto, que era para eu tomar cuidado para não ser atropelado, para eu tomar cuidado para não ir à escola de carro porque o pneu poderia aparecer furado. Então são diversos ataques que eu venho sofrendo […] Hoje eu me sinto frustrado. Triste por não ter conseguido mudar aquela situação. Por não ter deixado aquele legado para os estudantes. É humilhante estar no seu trabalho e ter que renunciar a isso”

Um dos estudantes responsáveis pelo ato fez uma postagem no Facebook pedindo desculpas. Segundo ele, “a gente ‘tá’ na escola para estudar, não é para ficar debochando da cara de ninguém”. E diz que “ninguém é perfeito e todo mundo já teve um momento de criança”.

“Pô, mano, vim aqui falar sobre o bagulho lá da escola. Ninguém é perfeito, tá ligado. Todo mundo já teve um momento assim de criança, de fazer o bagulho no embalo. Queria pedir desculpa pelo acontecido pelo fato de ter feito o que eu fiz na sala de aula, ter tacado o objeto, não no professor, mas no quadro que quase pegou nele […] Isso aí é coisa de marginal, de vacilão, entendeu? Porque a gente tá na escola para estudar, não é pra ficar debochando da cara de ninguém, especialmente do professor que não tá ali de bobeira, que está ali porque está precisando daquele dinheiro, tá fazendo aquilo por amor”

Veja abaixo o vídeo da agressão:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS