As sociedades modernas não nos educam para navegarmos nas águas da emoção. Estudamos milhões de informações sobre o imenso universo físico, mas quase nada sobre o universo psíquico.

Aprendemos as lições para desenvolver a linguagem falada, mas não aprendemos as informações fundamentais para desenvolvermos a linguagem da emoção. Por isso é muito fácil construir relações doentias com filhos, alunos, amigos e, em especial, com a pessoa que escolhemos para construirmos uma história.

Frequentemente a paixão irracional substitui o amor inteligente.

1.A paixão vive na lama da insegurança; o amor vive no terreno da confiabilidade;

2.A paixão controla os passos; o amor incentiva a caminhada;

3.A paixão arde em ciúme do outro; o amor queima em prazer pelo sucesso dele;

4.A paixão corrige em público e elogia em particular; o amor faz o contrário;

5.A paixão é agitada e agressiva; o amor, calmo e protetor;

6.A paixão produz o individualismo; o amor, a individualidade;

7.A paixão gravita na própria órbita; o amor pensa nos outros;

8.A paixão flutua entre o “céu e o inferno” em instantes; o amor é estável, mesmo diante das contrariedades;

9.A paixão é inquieta, nutre-se com a ansiedade; o amor é paciente, nutre-se com o cardápio da tranquilidade;

10.A paixão vê a tempestade e se amedronta; o amor vê no mesmo ambiente a chuva e, com ela, a oportunidade de lançar suas raízes;

11.A paixão produz rompimentos traumáticos; o amor dá sempre uma nova chance;

12.A paixão cobra muito; o amor entrega muito;

13.A paixão gera janelaskillers, produz traumas, diminui, humilha, inferioriza, compara, enquanto o amor produz janelaslights, exalta, promove, incentiva, aplaude;

14.A paixão aprisiona os apaixonados em torno de si; o amor liberta os amantes, os faz enxergarem um mundo de oportunidades ao seu redor;

15.A paixão não tem dignidade, faz chantagens, não admite em hipótese.

 

 

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.