Portrait of businesswoman sitting at office desk and thinking the solution while working late in front of a computer.

Quantas vezes você já ouviu de alguém que diz ser bem mais produtivo a noite do que durante o dia?

Pois saiba que apesar de parecer apenas um hábito comum para alguns, essa prática pode ser muito prejudicial a saúde, podendo inclusive diminuir o tempo de vida.

Um estudo recente realizado por uma universidade em Chicago, nos Estados Unidos, analisou mais de 400 mil pessoas com idades entre 38 e 73 anos durante 6,5 anos e concluiu que aquelas que se definem como “noturnas” têm 10% mais chances de sofrerem uma morte prematura do que aquelas que se dizem “diurnas”.

O estudo que foi publicado em março no periódico Chronobiology International, divulgou ainda que A taxa de morte foi ainda maior entre o grupo de pessoas notívagas que tinha entre 63 e 73 anos.

Alem disso quem gostava de ficar acordado até tarde da noite também teve os maiores índices de doenças e distúrbios como diabetes, problemas psicológicos, neurológicos, respiratórios e gastrointestinais.

Para conduzir o estudo, os pesquisadores perguntaram inicialmente aos voluntários se eles eram uma pessoa “definitivamente diurna”, “parcialmente diurna”, “parcialmente noturna” ou “definitivamente noturna”.

Mas quais são as causas?

Cientistas apontam para uma combinação entre genética e o meio ambiente que podem juntos desempenhar um papel na preferência da pessoa em dormir cedo ou tarde.

Leia mais: Tudo vem ao seu tempo… por Paulo Coelho

Embora não tenham analisado as causas dos problemas de saúde, os autores do artigo disseram ser provável que pessoas com atrasos no relógio biológico seriam prejudicadas por terem de ajustar seus hábitos a um “mundo com hábitos diurnos”.

“Pode ser estresse psicológico, comer na hora errada para o corpo, não se exercitar ou não dormir o suficiente ou até o uso de drogas ou álcool. disse Kristen Knutson, co-autora do estudo.

“Há uma imensa variedade de comportamentos poucos saudáveis associados ao hábito de permanecer acordado até altas horas da noite”, declarou.

Mudando os hábitos

Felizmente, de acordo com a autora, há alguns truques para mudar o hábito noturno:

– Tente ficar exposto à luz logo cedo e evitá-la tarde da noite

– Tente manter um horário fixo para ir dormir todo dia e não se permita atrasar muito nesse horário

– Seja disciplinado sobre um estilo de vida saudável e reconheça a importância da hora de dormir

– Faça as coisas mais cedo e tente evitar ser uma pessoa de hábitos noturnos o máximo que você puder

Problema de saúde pública

Existem pesquisas que ainda sugerem que os notívagos são mais inteligentes, mais criativos e podem ficar mentalmente alertas por mais horas após acordar.

Segundo os pesquisadores independente disso, isso se tornou um “problema de saúde pública que não pode mais ser ignorado”, principalmente porque essas pessoas acabam dormindo pouco devido as atividades obrigatórias, que costumam ser diurnas.

“Se pudermos reconhecer que esses hábitos noturnos são, em parte, geneticamente determinados e não uma falha de caráter, os empregos e as horas de trabalho poderiam ter mais flexibilidade para essas pessoas”, disse Knutson.

A pesquisadora Knutson afirma ainda que os notivagos não deveriam ser forçados a se levantar às 8 horas da manhã, até porque isso poderia diminuir seu tempo de vida.

Informações: Viva Bem

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.