Alguma vez você já pensou sobre os benefícios psicológicos do LEGO? Esse jogo tão popular quanto divertido conseguiu se posicionar no coletivo imaginário como um dos favoritos das crianças, pois permite explorar os vastos territórios da imaginação e do lazer.

Na verdade, esse simples jogo de construção pode ajudar, inclusive, a externalizar nosso sistema de emoções e crenças.

Benefícios psicológicos do LEGO para as crianças

Segundo a Psiquiatra espanhola Maria Teresa Mata, ela acredita que esse processo de construção livre tem efeitos muito positivos. Além disso, contribui com a psicoterapia. Por outro lado, o jogo dos LEGOS pode influenciar no fato de externalizar as crenças e as emoções.

Muitas crianças de hoje em dia adoram montar as peças desse brinquedo para formar vários objetos. Mas quais são benefícios psicológicos do LEGO? Sem dúvidas, os benefícios psicológicos desse brinquedo para as crianças parecem ser incríveis. E, na verdade, são mais interessantes do que se pode imaginar.

LEGO como ferramenta de trabalho

Um excelente uso do Lego é como ferramenta de trabalho no mundo do coaching empresarial.  Como se trata de uma dinâmica baseada na representação de idéias, a construção livre se mostra muito eficiente, pois produz grandes informações.

O método LEGO Serious Play foi patenteado, pois traz grandes benefícios na resolução de conflito pois proporciona uma grande quantidade de informação.

Por ser uma técnica reveladora, promove a criatividade e dá asas à imaginação, à expressão, à capacidade de conquistar objetivos e até mesmo de projeção de desafios, além de incentivar a empatia!

Ajuda a realizar conexões com outros níveis

Segundo a mesma psiquiatra mencionada anteriormente, brincar com os LEGOS permite estabelecer conexões com outros níveis. O que isso significa? Quando se juntam as peças, são combinadas criatividade e imaginação com trabalho manual. Isso estimula vários processos mentais que se relacionam com a comunicação.

Leia mais: WhatsApp lança atualização perfeita para pessoas ciumentas

Devido a esse fato, o observador pode ter um conhecimento mais profundo em relação ao indivíduo que cria um objeto a partir dos legos. Assim, quando se transfere a técnica de construção de legos a uma equipe de trabalho ou à família, é possível visualizar a maneira como o indivíduo enxerga o mundo. Dessa maneira é possível obter maior diálogo.

Surgimento de novas mensagens

Segundo a psiquiatra Maria Teresa, as mensagens que são recebidas quando se utiliza essa técnica são recentes. São alcançadas mediante a associação de ideias e de criatividade, o que significa que possuem uma genialidade e, até mesmo, uma sabedoria que não se pode observar a priori com outros métodos.

Entre os benefícios psicológicos do LEGO estão uma quantidade enorme de informação que, de outra maneira, passaria despercebida. Mas, graças a essas mensagens, podem ser descobertas novas soluções, pois promovem um treinamento da inteligência emocional.

Derrubar barreiras inconscientes

As barreiras inconscientes são escudos que aparecem sem querer que se relacionam com a interação social do indivíduo. Mas graças aos benefícios psicológicos do LEGO, tais barreiras vão caindo pouco a pouco, pois se obtém uma maior expressão do conhecimento próprio e também com o dos outros.

Desenvolver a capacidade de resolução.

Algumas vezes, uma pessoa pode se sentir incapaz de resolver um problema. No entanto, se desde pequenas as crianças brincam de LEGOS, os benefícios psicológicos dessa brincadeira vão agir por si só, ajudando a pessoa a encontrar a informação necessário dentro de si mesmo.

Dessa maneira, a pessoa pode obter, ordenar, expor e validar a informação, ampliando, assim, o seu domínio de habilidades.

Você imaginava essa quantidade de benefícios psicológicos do LEGO para o ser humano? Não há dúvidas de que, sendo sabiamente usado, esse jogo pode ser um verdadeiro aliado para nos conhecermos um pouquinho melhor.

Informações: A Mente é Maravilhosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Bem Mais Mulher
Sobre a inteligência, a força e a beleza feminina.

COMENTÁRIOS